terça-feira, 11 de outubro de 2016

20 anos depois de sua morte, Renato Russo ainda é o ícone de uma geração

Lá se vão duas décadas sem Renato Russo. Parece até que foi ontem que vivemos aquele dia 11 de outubro de 1996, quando sua morte foi anunciada causando comoção e deixando a música mais pobre. Ícone de uma geração, o líder da Legião Urbana é até hoje um dos mais influentes compositores do rock nacional.

Agora em outubro, para lembrar os 20 anos da morte do cantor, uma série de eventos relembram a obra de Renato Russo. Entre eles, o lançamento de “The 42nd St. Band: romance de uma banda imaginária”, ficção escrita na adolescência pelo líder da Legião e do álbum tributo “Viva Renato Russo 20 anos”, com bandas da nova geração do rock nacional. No Rio de Janeiro, o ator Bruce Gomlevsky reestreia “Renato Russo, o musical”, que foi montado nos dez anos de morte do cantor e somou mais de 200 mil espectadores. A Universal Music lançará uma caixa com cinco álbuns solo que Renato gravou.

Apesar dos 20 anos sem Renato Russo, sua obra segue viva, como um legado permanente. Seu trabalho é celebrado até hoje e o culto ao vocalista da Legião não está restrito aos quarentões. O mito é celebrado ainda hoje e continua vivo. O amor pelo cantor é perpetuado pela geração mais nova, uma herança de pais para filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário