terça-feira, 18 de abril de 2017

Carro do acervo pessoal de Renato Russo é mantido a céu aberto


Carro que pertenceu ao Renato Russo


Quem vai à frente do prédio em que Renato Russo viveu seus últimos anos, no Rio de Janeiro, é surpreendido com uma peça importante do acervo pessoal do cantor. Estacionado em frente ao número 378 da rua Nascimento Silva, em Ipanema, a céu aberto, está o veículo GM Ômega/GLS, verde, placa LBG 3332, que pertencia ao líder da Legião Urbana. É estranho ver o carro que pertencia ao cantor ali, sem qualquer cuidado especial, exposto às condições do tempo. É como se uma parte da própria história do Renato Russo também estivesse ali, à mercê do sol e da chuva. Com um projeto de exposição do artista previsto para ser lançado esse ano, em São Paulo, o carro do artista poderia ser uma peça importante. Todo fã gostaria de ver o carro que foi do cantor.

Foi na pacata rua da Zona Sul carioca que Renato Russo viveu seus últimos anos de vida, até o falecimento, em 11 de outubro de 1996. O local é ponto de encontro de fãs, que vão ali para viver por alguns momentos um pouco da mesma atmosfera do cantor e fazer uma foto em frente à porta estreita do prédio de três andares com fachada de tijolo aparente. A entrada ficou conhecida ao ser estampada na capa do álbum The Stonewall Celebration Concert, de 1994, primeiro disco solo do cantor.

Entrada do apartamento que ficou conhecida na capa do primeiro disco solo do cantor



Renato Russo chegou ao apartamento 201, do pequeno prédio de três andares, em 1990. No período que ali morou saíram três discos da Legião Urbana gravados em estúdio: V (1991); Descobrimento do Brasil (1993) e A Tempestade (1996), além de dois álbuns solos The Stonewall Celebration Concert (1994) e Equilíbrio Distante (1995).

Museu do Renato Russo

Em 2016, um projeto de exposição sobre Renato Russo no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS) foi aprovado pelo Ministério da Cultura (MinC) para captar até R$ 3 milhões pela Lei Rouanet. Uma comissão de análise, que se reuniu em Brasília de 4 a 6 de outubro, reduziu o valor aprovado em relação ao pedido inicial do MIS, que era de R$ 3,8 milhões. No projeto, o MIS diz que a exposição ocorrerá de julho a setembro de 2017. O ingresso para a exposição é de R$ 12, com entrada gratuita às terças-feiras, conforme descrição ao MinC.



A Legião Urbana Produções, responsável por administrar a marca, as obras e o acervo do cantor, foi procurada para comentar, mas até o momento não se manifestou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário