quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Bruce Springsteen lança álbum de último show com Clarence Clemons

O cantor americano Bruce Springsteen lançou o álbum ao vivo do último show dele com o saxofonista Clarence "Big Man" Clemons. A apresentação de despedida do músico da E Street Band aconteceu no dia 22 de novembro de 2009, na cidade de Buffalo, e teve o álbum Greetings from Asbury Park N.J. tocado na íntegra.

O show de três horas e meia e com 35 músicas no setlist está disponível para download no site Live Bruce Springsteen.

A apresentação encerrou a turnê Working on a Dream e foi o último show com Clarence "Big Man" Clemons antes da morte dele em junho de 2011.  A venda física do álbum está prevista para janeiro.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Confira o novo single de Edi Rock


Na última sexta-feira, o rapper Edi Rock, dos Racionais MC´s lançou ´Cortina De Ferro´, primeiro single do seu próximo trabalho solo, ainda sem data definida para chegar ao mercado. Lançada pelo selo Bagua Records, a faixa tem produção de LR Beats e coautoria do rapper Don Pixote com o MC dos Racionais.

Ouça baixo “Cortina de Ferro”.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Show de Geoff Tate no Brasil é adiado

A Free Pass Entretenimento informou que, por motivos de compromissos pessoais não previstos pelo artista, o show do vocalista norte americano Geoff Tate será adiado para agosto de 2017. A nova data e local será informado em breve pela produtora. Os ingressos já adquiridos continuam válidos para a nova data do show. Para aqueles que preferirem o reembolso, o mesmo deverá ser feito através dos canais e pontos de venda do Clube do Ingresso www.clubedoingresso.com

O show do ex-vocalista do Queensrÿche estava inicialmente previsto para o dia 21 de janeiro.

Informações sobre nova data e local em breve através do site da Free Pass:
http://www.freepass.art.br

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Andreas Kisser celebra 32 anos do Sepultura e fala sobre novo disco e documentário em homenagem aos 32 anos da banda

A história do metal brasileiro está diretamente ligada à carreira do maior grupo brasileiro do gênero: o Sepultura. De 1984, quando foi fundado, até os dias de hoje, muita coisa aconteceu na história da banda e dos seus integrantes. São 32 anos de carreira, shows em 76 países diferentes, 13 discos de estúdio, três EPs, três discos ao vivo, além de coletâneas e homenagens em tributos e prêmios. Para manter o conquistado respeito mundial e seguir em atividade, foi preciso superar crises, mudanças na formação, troca de empresários e gravadoras. 


"O Sepultura respeita o passado, uma história fantástica, mas está na ativa construindo o futuro"
“O Max saiu em 96, levando empresário, confiança da gravadora e praticamente toda estrutura que o Sepultura demorou 10 anos para construir ficou com ele. A gente teve que reconstruir toda a nossa história e estamos aqui celebrando 32 anos”, dispara o guitarrista Andreas Kisser, em entrevista ao Vitrolanews e BDG por telefone.

Vivendo uma das melhores fases da história, Andreas Kisser, Paulo Jr., Derrick Green e Eloy Casagrande se preparam para dois grandes lançamentos em 2017: Machine Messiah, 14º álbum de estúdio, e o documentário ‘Sepultura – O Filme’, em comemoração às três décadas. A banda também já tem turnê confirmada na Europa e América do Norte. Até agora já são 62 shows agendados entre fevereiro e maio. 


"A gente não tem intenção de ficar lavando roupa suja. É simplesmente o fato de mostrar o que é essa banda que veio do Brasil, por que influenciou e continua influenciando tanta gente e mostrar que estamos muito na ativa"
“Estou muito feliz com esse disco e também com a próxima turnê. Já estamos fazendo os ensaios do álbum e a sonoridade está muito diferente de tudo que a gente fez. Todo disco do Sepultura tem essa característica de trazer algo novo e diferente”, afirma Kisser. Segundo o músico, a expectativa também é grande para o lançamento do filme: “além de uma comemoração é uma oportunidade de contar uma parte da história que ficou meio obscura para muita gente”.

Machine Messiah foi inspirado pelo processo de robotização da sociedade e será lançado no dia 13 de janeiro de 2017, pela Nuclear Blast Records. Produzido pela banda e o experiente Jens Bogren, que já trabalhou com Soilwork, Opeth, Katatonia Kreator, Paradise Lost e Amon Amarth, o disco foi gravado em Örebro, na Suécia. 


"O metal sempre foi organizado e aqui no Brasil tem muita banda excelente. O Sepultura foi o pioneiro de levar o metal do Brasil para fora, mas hoje você vê bandas como Krisiun, Claustrofobia, Torture Squad, Nervochaos, Ratos de Porão, todo mundo tocando fora do Brasil, fazendo turnês e se dando bem"    
Já o documentário, dirigido por Otávio Juliano e Juliana Ferraz, conta a história da banda, passando por todas as fases, a partir da formação atual. O filme foi gravado durante sete anos e teve mais de mil horas de imagens captadas. "A gente não tem intenção de ficar lavando roupa suja. A ideia é mostrar que o Sepultura é uma banda ativa, que respeita o passado, uma história fantástica, mas que está aqui hoje construindo o futuro, agora", enfatiza Andreas.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista com o guitarrista ou clique aqui para ouvir a conversa na íntegra.

‘I Am The Enemy’, primeiro single, diz em um dos versos “Reúna-se consigo mesmo, Reconecte-se com nós mesmos”. Seria um recado aos fãs que a banda está de volta às suas origens?

‘I Am The Enemy’ não tem nada a ver com isso. ‘Reunite e Reconnect’ tem a ver com um âmbito muito mais geral, do ser humano se conectar um pouco mais com a natureza e não ser tão escravo dos robôs, que na verdade é o tema geral do disco. Machine Messiah aborda a robotização da sociedade e não num termo meio syfy futurista. É o que a gente vê aqui hoje, com os smartphones, computadores, GPSs, Google Glasses...A galera vai no show e fica filmando em vez de curtir, famílias que vão para o restaurante e não se falam, mas está todo mundo com o celular na mão. Enfim, é mais por esse aspecto. E ‘I Am The Enemy’, mais especificamente, é você não culpar as coisas de fora, ou não culpar outras pessoas, outras situações pelos seus próprios erros e enganos.

Sepultura – O Filme
O documentário passa, obviamente, por todas as partes da história da banda. Mas a intenção é mostrar o que a banda é hoje. Porque que a gente está aqui ainda depois de tantas mudanças. O Max saiu em 96, levando empresário, confiança da gravadora, praticamente toda estrutura que o Sepultura demorou 10 anos para construir ficou com ele. E a gente teve que reconstruir toda a nossa história e estamos aqui celebrando 32 anos. A gente não tem intenção de ficar lavando roupa suja. É simplesmente o fato de mostrar o que é essa banda que veio do Brasil, por que influenciou e continua influenciando tanta gente e mostrar que estamos muito na ativa.

Estrada e vida de músico
O filme é interessante não só para os fãs do metal ou do Sepultura, mas para as pessoas em geral, que vão poder ver como é ter uma banda, ter uma família junto com isso, de ficar em turnê, meses fora de casa viajando o mundo. Mostra que é uma profissão que tem que ter muita dedicação, responsabilidade, ensaio. A responsabilidade de entrar na hora certa. Enfim, mostra que o metal, que para muita gente é só barulheira e zoeira, não é isso e tem que ter muita dedicação.

Arrependimentos
Arrependimentos eu acho que não existem. Porque eu acho que os erros e as coisas que a gente agora discorda ou teria feito de uma forma diferente são, justamente, para a gente aprender. São processos de aprendizado. Quando uma porta se fecha, dez outras se abrem. O lance é levantar a cabeça e ver as novas oportunidades. A entrada do Derrick foi isso. A gente não teve a intenção de procurar um clone do Max e tentar fazer as coisas iguais para tentar enganar os fãs ou fazer o que a gravadora queria. A gente fez o que tínhamos de fazer e aproveitar e usar as características novas e viver o presente. Arrependimento seria estar naquele lugar ainda, sofrendo por uma coisa que não vale a pena, perder energia no passado. Ao invés de botar toda energia aqui e agora e ver realmente aquilo como um aprendizado e é o que é. Como eu falei, fecha um porta e abrem dez outras. 

Nova Turnê
A gente já tem uma turnê marcada na Europa, de fevereiro a março, com o Kreator, SoilWork e Aborted. Depois em abril vamos para os EUA e Canadá, tocaremos com o Testament e o Prong, por cinco ou seis semanas. Também estamos fechando os festivais de verão pela Europa e vendo como vamos encaixar o Brasil também para o próximo ano.


A cena metal hoje
A cena metal está mais forte do que nunca, a exemplo do Metallica saindo com um disco muito bom. Bem recebido, com uma estratégia super nova, mostrando outros caminhos de como lançar um disco e como fazer as coisas. Enquanto outros estilos estão lançando uma faixa, duas, no mundo metal ainda tem a tradição de álbuns, que contam uma história, tem uma sequência das músicas. O metal sempre foi organizado e aqui no Brasil tem muita banda excelente. O Sepultura foi o pioneiro de levar o metal do Brasil para fora, mas hoje você vê bandas como Krisiun, Claustrofobia, Torture Squad, Nervochaos, Ratos de Porão, todo mundo tocando fora do Brasil, fazendo turnês e se dando bem, tendo essa organização que muita gente não consegue enxergar.

O que os fãs ainda podem esperar do Sepultura?
Podem esperar sempre dedicação total naquilo que a gente faz, uma busca honesta porque a gente faz aquilo que a gente gosta e se prepara para isso, para fazer sempre o melhor. Estou muito feliz com Machine Messiah. Já estamos fazendo os ensaios do álbum e a sonoridade está muito diferente de tudo que a gente fez. Todo disco do Sepultura tem essa característica de trazer algo novo, algo diferente.

Recado para os fãs
Aos fãs sempre é uma gratidão eterna. No ano passado nós fizemos uma música -Sepultura Under My Skin - especialmente para celebrar os 30 anos e uma homenagem aos fãs, principalmente aqueles que tem uma tatuagem do Sepultura na pele. Foi nossa humilde homenagem aos fãs. A gente tem muita sorte de ter fãs como os do Sepultura. Eles que mantém a banda viva por 32 anos, nos momentos bons e ruins, e sem eles não seria nada possível. E agora em 2017 a gente espera rever todo mundo, também ver gente nova que está chegando agora para ver o Sepultura pela primeira vez.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Elton John e James Taylor confirmam quatro apresentações no Brasil em 2017

Elton John e James Taylor voltam ao Brasil, em 2017, para quatro apresentações: nos dias 31 de março em Curitiba (Pedreira Paulo Leminski); 01 de abril no Rio de Janeiro (Praça da Apoteose); 04 de abril em Porto Alegre (Anfiteatro Beira-Rio); e dia 06 de abril em São Paulo (Allianz Parque).

De acordo com a produtora Time For Fun, serão dois shows completos em cada uma das noites. Ainda não há informações sobre preços dos ingressos e início das vendas.

Elton John – O multifacetado artista volta ao Brasil para um show repleto hits. Essa turnê leva o nome do seu mais recente álbum – Wonderful Crazy Night, seu 32º álbum, que já foi avaliado pela Rolling Stone como um dos melhores de sua carreira. Essa nova apresentação conta não somente com algumas músicas do novo álbum, como também com os maiores hits de mais de 50 anos de carreira.

James Taylor – Sendo um artista que constantemente está gravando e em turnê, James Taylor marcou as pessoas com sua belíssima voz barítono e uma maneira distinta de tocar sua guitarra por mais de 40 anos, ao mesmo tempo em que teve uma profunda influência em diversos jovens músicos.
Durante todo o curso de sua carreira como artista e compositor, Taylor vendeu mais de 100 milhões de álbuns, recebendo os prêmios de discos de ouro, platina e multiplatinado, indo desde Sweet Baby James de 1970, até October Road de 2012. Em 2015, Taylor lançou seu primeiro álbum de estúdio em 13 anos, o Before This World, que acabou conquistando a primeira posição das paradas da Billboard pela primeira vez em sua carreira, além de ser nominado ao Grammy pela categoria de Melhor Álbum Pop. 

Tarja Turunen volta ao Brasil em 2017

A cantora Tarja Turunen volta ao Brasil em 2017. Por enquanto, com apresentação única em São Paulo (Tom Brasil) no dia 20 de maio.

Atualmente Tarja dedica-se a promover as músicas da dupla de álbuns “The Brightest Void” e “The Shadow Self”, ambos lançados em 2016 e que tiveram como singles “Innocence” e “No Bitter End“.

Os ingressos custam entre R$ 55,00 (pista meia entrada) e R$ 280,00 (camarote) e estarão à venda no Tom Brasil, online via site oficial da casa e nos pontos de venda.




SERVIÇO:
Tarja – show especial em São Paulo
Quando: 20 de maio de 2017 (sábado)
Local: Tom Brasil
Endereço: R. Bragança Paulista, 1281 – Santo Amaro
Informações: http://grupotombrasil.com.br/tarja-2 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Deep Purple libera nova música e capa do novo álbum


O Deep Purple divulgou a faixa “Time For Bedlam”, do novo álbum “Infinite“, que será lançado no dia 7 de abril pela EarMusic.
Confira abaixo:

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

15 anos sem Chuck Schuldiner

Hoje, dia 13 de dezembro, completa-se 15 anos da morte de Chuck Schuldiner, o vocalista e guitarrista do Death, uma das maiores bandas de metal de todos os tempos. Fundado em 1983, em Orlando, na Flórida, o Death foi um dos precursores do Death Metal e consagrou Chuck, como um dos maiores gênios da música mundial. Sua obra é até hoje influência para grupos de diferentes vertentes do metal.

Em Maio de 1999 Chuck começou a sentir dores no pescoço. Após os exames, os médicos diagnosticaram que a causa das dores era um tipo de câncer cerebral. Durante dois anos Chuck lutou contra a doença e chegou a ser operado. Porém, em outubro de 2001 contraiu uma forte pneumonia e não resistiu. O músico veio a óbito no dia 13 de dezembro do mesmo ano.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

'Sepultura - O Filme' será lançado em 2017

O ano de 2017 será especial para os fãs do Sepultura. Em comemoração aos 30 anos, o grupo lançará um documentário em que será apresentada toda a trajetória da banda, desde o início até os dias de hoje.

O teaser exclusivo de Sepultura - O Filme foi apresentado na Comic Con Experience 2016, que aconteceu entre os dias 1 e 4 de dezembro, em São Paulo.

O documentário tem a direção de Otavio Juliano e Juliana Ferraz.

 

Ponto de Equilíbrio é atração da Lona Cultural Gilberto Gil

Crédito: João Paulo Racy
Adicionar legenda
Nesta sexta-feira, dia 9, a banda Ponto de Equilíbrio volta a se apresentar em solo carioca, dessa vez em Realengo - Lona Cultural Gilberto Gil. Formado há 16 anos em Vila Isabel, o Ponto de Equilíbrio é um dos grandes nomes do reggae nacional. O grupo divulga o quarto disco de estúdio “Essa é a nossa música”, onde apresenta um lado mais versátil e dialoga com o universo da MPB e do Rap. Nas palavras de Marcelo Yuka: “salta aos olhos a coragem e a autonomia da banda em passear por vários estilos diferentes sem perder a originalidade nem o vínculo estreito com o reggae de raiz”.

No show desta noite, além das novas “Nossa música”, “Direitos iguais” e “Dome o medo”, estão garantidos sucessos da carreira como “Jajah me leve” (Hélio Bentes e Lucas Kastrup), “Ponto de Equilíbrio” (Hélio Bentes e André Sampaio) e “Só quero o que é meu” (Lucas Kastrup).

Mais sobre o disco

“Essa é a nossa música” é o quarto álbum de estúdio do Ponto de Equilíbro. Das 14 canções do disco, 13 são inéditas e autorais. “Fio da fé” (Lucas Kastrup), primeira faixa deste novo trabalho, foi mostrada em 2014. “Nossa música”, parceria entre Marcelo e Marcos Gêmeos Campos, Paulo Fraiz e Gabriel O Pensador, ganhou videoclipe com participação de Gabriel. Confira abaixo.

O álbum tem ainda participações de Emicida, na faixa “Seu jogo” dele e Helio Bentes; de Ivete Sangalo, em “Estar com você”; de Alborosie, produtor e parceiro em “Dome o medo”, com Pedrada e Juliana Latini; de Alexandre Carlo, autor de “Vida de Rastaman”; e da banda Oriente em “Peleja”, de Nissim e Chino. Além destas, o disco traz “Chances”, “Direitos iguais”, “Pra falar de Jah”, “Vou me tacar”, “Fogo e água”, “Etiópia sagrada” e “Diamante rubi”, todas compostas pelo grupo.

Gravado em 2015 no estúdio Toca do Bandido, “Essa é a nossa música” tem produção musical de Pedro Pedrada e direção musical da própria banda, com exceção da faixa “Dome o medo”, produzido pelo multi-instrumentista italiano Alborosie em seu estúdio Kingston Jamaica, nas terras de Marley.

SERVIÇO

PONTO DE EQUILÍBRIO APRESENTA TURNÊ ‘ESSA É A NOSSA MÚSICA’

Data: 9 de dezembro, sexta
Local Lona Cultural Gilberto Gil, Realengo - RJ
Horário de abertura: 22h
Ingressos a partir de R$40 (meia entrada)


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Jason Mraz volta ao Brasil para única apresentação

Crédito: Greg Burke
Jason Mraz volta a São Paulo para única apresentação no Citibank Hall, no dia 26 de janeiro de 2017. O americano promete uma apresentação especial que mesclará músicas inéditas, além de grandes hits no Brasil, como “I’m Yours”, “Lucky”, “I Won’t Give Up”, “93 Millions Milles”.

Os ingressos para o único show no Brasil estarão disponíveis para o público geral a partir do dia 09 de dezembro. Clientes dos cartões Citi e Diners Club contarão com pré-venda exclusiva entre os dias 06 e 08 de dezembro. Os ingressos poderão ser adquiridos pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de vendaespalhados pelo Brasil e na bilheteria do Citibank Hall. O show é realizado pela TIME FOR FUN.

Jason Mraz acumulou uma diversificada base de fãs jovens e contagiantes por todo o mundo. Desde que começou sua carreira em cafeterias de San Diego, sua cidade adotiva, Mraz trouxe sua mensagem positiva e um som soul, folk-pop para arrebatar as audiências em todo o mundo através de suas músicas, performances ao vivo e esforços filantrópicos. Ao longo do caminho, ele ganhou numerosos certificados de diamante, platina e multi-platina em diversos lugares por seus lançamentos, fez história na música pop com os seus singles "I'm Yours" e "I Won’t Give Up", ganhou dois prêmios Grammy entre seis indicações, ganhou o prestigiado prêmio Hal David Songwriter Hall of Fame, ganhou prêmios no Teen’s Choice Awards e People's Choice Awards, esgotou ingressos em anfiteatros e arenas em todo o mundo, incluindo locais emblemáticos como The Hollywood Bowl, Madison Square Garden e O2 Arena de Londres.


JASON MRAZ SÃO PAULO (SP)
Única apresentação: Quinta-feira, 26 de janeiro 2017
Horário: 21h30
Abertura da casa: 20h
Local: Citibank Hall SP – Av. das Nações Unidas, 17955 – Santo Amaro, São Paulo/SP.
Capacidade: 7.064 pessoas
Ingressos: de R$ 65 a R$ 650 (ver tabela completa).
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 12 anos.
De 12 a 15 anos: permitida a entrada acompanhados dos pais ou responsáveis legais.
De 16 anos em diante: permitida a entrada desacompanhados.
Acesso para deficientes
www.ticketsforfun.com.br
REALIZAÇÃO: TIME FOR FUN

Maria Rita e Casuarina na Fundição Progresso

Crédito: Vicente de Paulo

No próximo dia 09 de dezembro, sexta, Maria Rita e Casuarina voltam a se encontrar no palco da Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, reeditando parceria de longa data. Além de terem se apresentado juntos diversas vezes ao longo de suas carreiras, Maria faz participação no novo álbum do Casuarina, “7”, na faixa “Eu Já Posso Me Chamar Saudade”, composição de João Cavalcanti e Moacyr Luz.

Em seu novo trabalho, Maria Rita continua enveredando por aquele que é considerado por muitos o gênero mais brasileiro de todos: o samba. Em “O Samba da Maria”, a artista apresenta um repertório de 20 canções de valor afetivo para ela, desde Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Alcione, Beth Carvalho, o samba-enredo da escola paulista “Vai-Vai”, e até a intensa “Beijo Sem”, de Adriana Calcanhoto - além, é claro, de sucessos de sua mãe, Elis Regina.

Já o Casuarina retorna à Fundição após roda de samba que comemorou os quinze anos do grupo, formado por Daniel Montes (violão de 7 cordas), Gabriel Azevedo (pandeiro e voz), João Cavalcanti (tantan e voz), João Fernando (bandolim e vocais) e Rafael Freire (cavaquinho). No repertório, sucessos como “É Isso Aí” (Sidney Miller), “Cabelos Brancos” (Herivelto Martins / Mariana Pinto, “Disritmia” (Martinho da Vila), “O Dia se Zangou” (Mauro Diniz / Ratinho), “Minha Filosofia” (Aluízio Machado) e “Rosa Morena” (Dorival Caymmi) estarão lado a lado com a nova safra autoral presente no recém-lançado disco “7”, como as músicas "Queira ou Não Queira" (João Cavalcanti / Alaan Monteiro), "Rasteira" (Gabriel Azevedo) e "Quando Você Deixar" (João Cavalcanti).

SERVIÇO
MARIA RITA ‘ O SAMBA DA MARIA’ E CASUARINA


Data: 09 de dezembro de 2016, sexta

Local: Palco Arena - Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 – Lapa - Rio de Janeiro)

Informações e venda de ingressos : www.fundicaoprogresso.com.br

Abertura da casa: 22:00hrs

Início do Show: 00h

Capacidade: 4.000 pessoas

Tel para informações: (21)3212-0800

E-mail: contatofundicaoprogresso@gmail.com.br

sábado, 26 de novembro de 2016

Elis, um filme imperdível

Estreou em circuito nacional um dos longas mais aguardados do ano, ‘Elis’, primeira direção de Hugo Prata. A cinebiografia conta a trajetória daquela que é considerada a maior voz do Brasil, desde a sua chegada ao Rio vinda de Porto Alegre, em 1964, até sua morte precoce, aos 36 anos, em 1982. A atriz Andréia Horta encara o desafio de viver a ‘Pimentinha’, apelido da cantora. 

A vida de Elis Regina - indiscutivelmente a maior cantora brasileira de todos os tempos, é contada nesta cinebiografia em ritmo energético e pulsante. A trendsetter cultural que sinalizou a mudança de estilos de Bossa Nova para MPB, a "pimentinha" ardente, que viveu uma vida turbulenta. Ao mesmo tempo que chocava-se com a ditadura militar no Brasil, ela lutou com seus próprios demônios pessoais.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Deep Purple lançará novo disco de estúdio em 2017

O Deep Purple anunciou nesta sexta-feira, que irá lançar um novo disco de estúdio em 2017. Batizado de Infinite, o novo álbum será produzido por Bob Ezrin (Lou Reed, KISS, Pink Floyd) e sairá no ano que vem.

Infinite será o vigésimo disco de estúdio dos britânicos e sucederá Now What?!, de 2013. A formação atual do Purple conta com Ian Paice – bateria, percussão, Roger Glover – baixo, Ian Gillan – vocal, harmônica, percussão, Steve Morse – guitarra e Don Airey – órgão, teclado.

No vídeo abaixo é possível ver um teaser do trabalho, com direito a um grito de “Senhoras e senhores, vamos gravar um disco de rock!”.
 

Black Sabbath chega ao Brasil para shows de despedida

Black Sabbath "The End" Tour
Falta pouco! Em menos de uma semana os brasileiros terão a chance de conferir a última passagem do Black Sabbath pelo Brasil. A The End Tour - turnê de despedida da maior banda do heavy metal mundial passará por Porto Alegre (28/11), Curitiba (30/11), Rio de Janeiro (2/12) e São Paulo (4/12).

Ozzy Osbourne, Tony Iommi e Geezer Butler estiveram pela última vez no país em 2013. Dessa vez, os membros da formação original do Sabbath estarão acompanhados do baterista Tommy Clufetos e do tecladista Adam Wakeman, em uma mega producão, a maior já feita pelo grupo. 

A história da banda começou há quase cinco décadas, mais precisamente no ano de 1968, em Birmingham, na Inglaterra. O que parecia ser só mais um passatempo de quatro moleques ingleses, tornou-se em um projeto muito sério e tornou-se o maior símbolo do heavy metal mundial. Nesses 48 anos, o Black Sabbath influenciou diferentes gerações de grupos, com uma coleção de riffs indestrutíveis. Ao todo são 19 álbuns de estúdio, 6 ao vivo, 30 turnês, 9 coletâneas e incontáveis homenagens.


Em entrevista recente, Ozzy declarou que essa é realmente a derradeira turnê, mas que os fãs podem esperar por muita energia um show repleto de clássicos. As apresentações em solo brasileiro terão a abertura do Krisium, em Porto Alegre, e do grupo americano Rival Sons, nas demais cidades. 

Quem até agora não garantiu ingresso para um dos quatro shows no Brasil, ainda tem tempo. Os bilhetes podem ser adquiridos pela internet em www.ticketsforfun.com.br e demais pontos de venda.

Abaixo, o setlist do show realizado nesta quarta-feira (23/11), em Córdoba, na Argentina.



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

"Ele está muito bem, foi só uma postagem infeliz de uma amiga dele”, diz empresário de Marcelo Yuka

Nesta quarta-feira, 23, a notícia de que Marcelo Yuka estaria internado em “estado grave” em uma CTI hospitalar foi amplamente disseminada em veículos de notícia. O boato a respeito da saúde do músico carioca começou a ser divulgado na última terça, 22, pela cineasta Daniela Broitman. Responsável pelo documentário biográfico Marcelo Yuka no Caminho das Setas, a paulistana fez um apelo público nas redes sociais dela, pedindo preces de amigos e fãs do ex-baterista d’O Rappa.

“O Marcelo Yuka está no CTI há duas semanas, em estado grave. Quem o conhece sabe que ele não gosta de ter sua dor exposta, mas a dor que exponho aqui é a minha. Fiquei na maior dúvida se deveria escrever esse post, mas a causa é muito maior do que qualquer melindre. A maioria de seus amigos não sabe que ele está nessa situação e eu não conseguiria avisar um a um, por isso tomei a liberdade de escrever. Neste momento, o que ele mais precisa é de afeto, de amor e de preces. Precisa que os amigos próximos estejam com ele. Amanhã ele fará a terceira cirurgia desde que foi internado. Apesar de tudo, pra nossa sorte, ele é um touro teimoso e resiste bravamente. Mas precisamos mandar muita energia de cura, pensamento positivo, reza, e o que mais pudermos fazer”, escreveu Daniela.

Porém, Geraldinho Magalhães, empresário de Yuka, acredita que a reação de Daniela foi “exagerada” e “desnecessária”. “Ele tem muitos problemas por causa da condição dele [Yuka ficou paraplégico, em 2000, depois de ser baleado nas costas], então é normal que ele se interne com frequência”, declarou à Rolling Stone Brasil. “No entanto, ele está muito bem, vivendo um momento maravilhoso e prestes a lançar um trabalho que já vem sendo produzido há seis, sete anos. Notícias como essas só fazem atrasar o processo de lançamento.”

De acordo com Magalhães, Yuka teria sido internado devido a uma “importante complicação nos últimos dias”, mas nada grave, conforme foi veiculado em diversos portais de notícia e pela própria cineasta. “Ao contrário do que essa amiga dele postou, está tudo bem. Ele só precisou fazer uma cirurgia nesta quarta para retirar um pino que estava infeccionando na perna dele”, declarou. “Ele está muito bem, foi só uma postagem infeliz dessa amiga dele.”

Magalhães desconhece os motivos que teriam levado a cineasta a publicar tal informação nas redes sociais dela. “Acho que ela o visitou um dia desses e o encontrou sedado, não sei. Talvez ela tenha ficado um pouco impressionada com o que viu.”

Embora tenha alegado que Yuka passa bem, o empresário declarou que o fundador do F.UR.T.O ainda não tem previsão de alta. “Ele vai continuar o tempo que for necessário, mas se aparecesse algum compromisso na semana que vem, ele estaria pronto para sair.”

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Força Yuka!

É grave o estado de saúde do músico Marcelo Yuka, internado há duas semanas. A informação foi dada por Daniela Broitman, diretora do filme “Marcelo Yuka no caminho das setas”. Ela publicou em seu perfil do Facebook um texto em que informa que o músico, poeta e ativista, ex-baterista e ex-letrista do O Rappa, está internado em estado grave.

Abaixo, o post de Daniela Broitman na rede social:

“O Marcelo Yuka está no CTI há duas semanas, em estado grave. Quem o conhece sabe que ele não gosta de ter sua dor exposta, mas a dor que exponho aqui é a minha. Fiquei na maior dúvida se deveria escrever esse post, mas a causa é muito maior do que qualquer melindre. A maioria de seus amigos não sabe que ele está nessa situação e eu não conseguiria avisar um a um, por isso tomei a liberdade de escrever. Neste momento, o que ele mais precisa é de afeto, de amor e de preces. Precisa que os amigos próximos estejam com ele. Amanhã ele fará a terceira cirurgia desde que foi internado. Apesar de tudo, pra nossa sorte, ele é um touro teimoso e resiste bravamente. Mas precisamos mandar muita energia de cura, pensamento positivo, reza, e o que mais pudermos fazer”.

Por isso, desde já iniciamos essa corrente para que o Yuka se recupere e vença mais essa! 

#ForçaYuka

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ícone do rock progressivo, Adrian Belew faz única apresentação no Brasil neste domingo

O ícone do rock progressivo Adrian Belew, mundialmente famoso por liderar o King Crimson e trabalhar ao lado de David Bowie, Frank Zappa, Talking Heads e Nine Inch Nails, faz, neste final de semana, única e exclusiva apresentação no Brasil. O multi-instrumentista norte-americano toca, neste domingo (27/11), no Carioca Club, em São Paulo.

Adrian Belew, um dos nomes mais importantes do rock progressivo mundial, faz única e exclusiva apresentação no Brasil, neste domingo (27/11), no Carioca Club, em São Paulo.

Reconhecido como um dos guitarristas mais criativos e inovadores da história, o multi-instrumentista norte-americano que brilhou como líder do King Crimson entre 1981 e 2009, vem ao país acompanhado do baterista Tobias Ralph e da baixista Julie Slick.

O repertório deve ser composto por diversos clássicos que marcaram sua brilhante carreira, além de resgatar uma sonoridade mais pop que adotou em trabalhos dos anos 80.

Ainda há ingressos à venda pelo Clube do Ingresso (http://www.clubedoingresso.com/adrianbelewpowertrio) e pontos autorizados. Mais informações no serviço abaixo.

Na ativa desde os anos 1970, Adrian Belew tocou e gravou com artistas renomados de diversos estilos musicais como Frank Zappa, Jean Michel Jarre, David Bowie, Cyndi Lauper, Talking Heads, Nine Inch Nails, entre outros.

Indicado diversas vezes ao Grammy, o guitarrista possui habilidades que vão do pop, progressivo ao experimental e até trabalhar como designer de instrumentos. Criou técnicas, tecnologias e uma linha de instrumentos específicas capazes de produzir sons de máquinas, animais e o que mais sua criatividade consentir.

Por Livio Mathias - BDG Uol

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Alma Djem lança primeiro single do DVD ao Vivo


O Alma Djem está de volta. o grupo liderado pelo vocalista Marcelo Mira acaba de lançar o primeiro clipe da música "Teu Lugar", direto do Dvd Ao Vivo, gravado no Lago Paranoá, em Brasília.

A música conta com a participação de Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts. Confira abaixo o vídeo de "Teu Lugar" e ainda um convite especial do vocalista Marcelo Mira.

Ficha Técnica:
Gravado em Brasília, no Doka Beach Club, em 13 de setembro de 2015.
Realização: Sol de Leão Produções Artísticas
Coordenação Geral: Marcelo Mira e Fernando Mira
Produção Musical: Alma Djem
Direção Musical: Marcelo Mira e Pit de Souza
Direção artística: Marcelo Mira
Co-Direção artística: Pit de Souza
Banda:
Marcelo Mira - vocais, violão e guitarra
Pit de Souza - baixo
Naná Aragão - bateria
Igor Brasil - guitarra
Adriano Magoo Oliveira - teclado e acordeon
Francine Missaka - backing vocal
Cauê Vieira - sax e flauta
Orlando Bolão - percussão

video

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Metallica surpreende fãs e lança 10 clipes inéditos em 18 horas


Pela primeira vez na história da música uma banda lançou 10 clipes em menos de 24 horas. E a proeza só podia ser do maior grupo do rock mundial, o Metallica. Dessa vez os caras perderam a linha e lançaram todos os vídeos que compõem o novo disco “Hardwired… To Self Destruct” numa só tacada. Cada um dos clipes foi divulgado por um país, com início pelo Brasil.

O primeiro vídeo foi o de "Dream No More", dirigido por Tom Kirk, lançado nesta quarta-feira, e O último, "Lords of Summer" foi lançado na manhã desta quinta-feira, 17/11, com direção de Brett Murray.

Confira abaixo todos os clipes:

Dream No More (Dirigido por Tom Kirk)




Confusion (Dirigido por Claire Marie Vogel)




ManUNkind (Dirigido por Jonas Åkerlund)



Now That We’re Dead (Dirigido por Herring & Herring)



Here Comes Revenge (Dirigido por Jessica Cope)



Am I Savage (Dirigido por Herring & Herring)



Halo On Fire (Dirigido por Herring & Herring)



Murder One (Dirigido por Robert Valley)



Spit Out The Bone (Dirigido por Phil Mucci)



Lords of Summer (Dirigido por Brett Murray)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Valeu a pena esperar: Guns N´Roses leva fãs cariocas ao delírio

                                                                                        Foto fanpage oficial
O Guns N' Roses voltou ao Rio de Janeiro nesta terça-feira, dia 15/11, doi anos depois do último show na cidade, em 2014. Dessa vez, Axl Rose estava de novo ao lado de Slash e Duff, que juntos formavam o clássico trio de frente da formação original da banda. Até São Pedro ajudou e a chuva que caia na cidade desde sábado a noite deu uma trégua, permitindo uma noite perfeita.

Quando as luzes se apagaram no Estadio Engenhão, o relógio marcava 20h48. E nas duas horas e quarenta minutos seguintes, o público conferiu uma sucessão de hits. A devoção dos fãs era mais que transparente e gerações diferentes se uniram em coro único pela banda. O engenheiro Paulo Fontes, de 42 anos, viu o Guns pela primeira vez em 1991, durante o Rock in Rio II. Ontem foi a vez dele apresentar o grupo ao filho Ian, de 8 anos. "É uma emoção diferente, em 1991 estava com a galera da universidade, hoje estou com meu filho e me sinto orgulhoso de passar o amor que tenho pela banda para ele", declarou entusismado.

Na fila do gargarejo ou nas arquibancadas, o público participou a todo instante e a banda correspondeu. É bem verdade que Axl Rose não tem mais o mesmo vigor dos anos 90, mas ainda assim o vocalista não decepcionou. Falou pouco, é verdade. Mas deu para ver que ele se esforçou para ser simpático com os fãs. O baixista Duff McKagan e o guitarrista Slash são atrações à parte. Mostraram a mesma energia dos velhos tempos.

O Guns abriu a noite com “It's so easy”, seguida de “Mr. Brownstone”, duas músicas da fase áurea, emendadas com Chinese Democracy, da fase mais recente. Em seguida soaram os primeiros riffs de "Welcome to The Jungle" e então o público já estava mais do que na mão da band “Yesterday”, “Civil war" e, claro, "Sweet child o'mine"e “November rain”.

No bis, a sequência foi a mesma apresentada em SP, com “Don't cry”, The Seeker e Paradise city”. Axl, Slash, Duff e cia deixaram o palco ao som “Faraway eyes”, dos Rolling Stones. Mesmo sem chuva, quem foi ao Engenhão saiu de lá de alma lavada.

Nesta quinta-feira, 17/11, o grupo se apresenta em Curitiba, e no domingo, 20/11, o Guns se despede dos brasileiros com show em Brasília.

SetList - Rio de Janeiro - 15/11

- It's So Easy
- Mr. Brownstone
- Chinese Democracy
- Welcome to the Jungle
- Double Talkin' Jive
- Better
- Estranged
- Live and Let Die
- Rocket Queen
- Out Ta Get Me
- You Could Be Mine
- Attitude
- This I Love
- Civil War
- Coma
- The Godfather
- Sweet Child O' Mine
- Yesterdays
- Wish You Were Here
- Layla > November Rain
- Knockin' on Heaven's Door
- Nightrain
- Don't Cry
- The Seeker
- Paradise City

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

NavesHarris lança primeiro clipe

"I'm traveling again/ by plane, by car, by bus, by train/ and I would do it all again", canta Britt Harris, nascida em Tacoma, Washington (EUA). Nas linhas de "En route to Rio (for you, the moon)", ela sintetiza o vaivém da parceria com o brasiliense Jair Naves, considerado um dos melhores cantores e compositores de sua geração.

Dirigido por Daniel Barosa e José Menezes, e todo feito em Super-8, o clipe que Britt e Jair apresentam neste mês registra trechos dos primeiros shows do NavesHarris e bastidores da dupla, o que confere às imagens o ar nostálgico e intimista da canção.


Britt e Jair se conheceram há um ano, durante a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, quando a cantora, compositora e atriz promovia um novo filme no evento. Escrita pelos músicos à distância, "En route to Rio (for you, the moon)" faz parte do mini-EP lançado por eles em maio de 2016. 

"Tanto o vídeo quanto a letra foram inspirados na nossa experiência vivendo em lugares diferentes", comenta a americana, que hoje mora em Los Angeles, Califórnia.

As gravações do compacto, que inclui também "Am I the one", ocorreram no Estúdio Damata, em São Paulo, com participação deRenato Ribeiro (guitarra) e Thiago Babalu (bateria), da banda que acompanha Jair na turnê de Trovões a me atingir (2015), eLucas Mello (baixo). 

"Gravei as vozes poucas horas antes de embarcar novamente a L.A., em janeiro. Apareci no estúdio com bagagens a tiracolo", diz Britt. No fim deste mês, ela retorna ao país para divulgar um novo EP do NavesHarris. O álbum de estreia deve chegar em 2017. 

Ainda no próximo ano, o público de Jair pode esperar pelo terceiro disco da premiada trajetória solo do artista, radicado em São Paulo, e composições inéditas do incendiário quarteto Ludovic, liderado por ele.