quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

"Rádio Rock" volta ao ar à 0h desta sexta em SP



A "Rádio Rock" está de volta a São Paulo. A partir da 0h de sexta-feira (21), a 89,1 FM volta ter programação dedicada exclusivamente ao rock, gênero que ajudou a consolidar no Brasil nas décadas de 1980 e 1990. A contagem regressiva para a nova fase começa já às 23h15 desta quinta. Um programa especial tocará os maiores hinos do rock de todos os tempos, e será transmitido simultaneamente pela rádio e pelo player em UOL Música (clique aqui para acompanhar).

A nova programação é patrocinada pelo UOL, maior empresa de conteúdo e serviços da internet brasileira. A emissora volta a funcionar na grande São Paulo na sua frequência original (89 MHz) e na internet, com o nome de UOL 89 FM A Rádio Rock.

A mudança não ficará restrita à programação musical. O conteúdo do UOL estará presente nos intervalos e programas especiais da emissora, deixando o ouvinte atualizado com as principais notícias do entretenimento, da política e do esporte, além das principais novidades do mundo do rock.

A UOL 89 FM também terá integração completa com a Rádio UOL, líder e referência entre os serviços de streaming de música na internet brasileira. Estão previstos programas especiais e playlists tanto para o dial como para o online.

Além dos naming rights, a parceria com o UOL contará com colaboração de conteúdo e exposição de marca. O site da rádio, que será totalmente reformulado, ficará hospedado no portal e vai permitir que qualquer internauta ouça a programação ao vivo da UOL 89 FM quando e onde quiser. Na Rádio Rock, o UOL terá inserções da marca e conteúdo exclusivo em programas especiais.
Fonte: Uol Música

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Projeto resgata a cultura popular e incentiva a solidariedade

 
 
Quem quiser escutar o mais tradicional samba de raíz e, ao mesmo tempo, ajudar crianças em situação de risco social nesse fim de ano terá a chance no projeto Sem Fome, A Gente Samba, que acontece no dia 23 de dezembro, a partir das 14h, na Rua Ibituruna, 14, na Tijuca, Rio de Janeiro. O evento vai celebrar a cultura popular ao som de grandes clássicos do samba, que serão relembrados pelo Grupo Samba Sem Fome. Para participar, todas as pessoas deverão levar um quilo de alimento não-perecível a fim de adquirir os ingressos vendidos a preços populares. As doações irão para a Instituição Lar Florescer, no Rio Comprido.
 
“Queremos convocar todos os apaixonados por samba a participar dessa corrente do bem. Além de escutar música de primeira qualidade e ter um espaço para celebrar as festividades de fim de ano, vamos ter a oportunidade de alimentar vidas. O nosso lema é ‘Sambe com consciência’”, afirma Lázaro Rangel, um dos idealizadores do projeto.
Brincadeira que virou coisa séria
 
Responsável por animar a festa, o grupo musical Samba Sem Fome mantém um projeto social paralelo. Criado em 2001, é formado por amigos que se reúnem todo primeiro sábado do mês, num lugar fixo, com o mesmo propósito: tocar samba e ajudar quem precisa.
 
“Não nos vemos como um grupo, mas como um projeto. Não ganhamos nada em troca. Só nos reunimos para fazer o que mais gostamos: levar um samba de qualidade e fazer o bem ao próximo”, afirma Carlos de Sousa Oliveira, o Carlinhos, um dos fundadores do grupo.
 
Para frequentar a roda que acontece em Higienópolis é necessário levar, no mínimo, um quilo de alimento não-perecível. As doações são encaminhadas para instituições sempre no dia seguinte de cada evento.
 
O Samba Sem Fome é formado por cinco integrantes fixos, todos com profissões assalariadas. Entre os músicos há representantes comerciais, operadores de telemarketing, motorista, encarregado de obra, professor de educação física, administrador, entre outros.
 
Serviço
Evento: Sem Fome, A Gente Samba
Dia: 23 de Dezembro
Hora: de 14h às 22h
Local: Rua Ibituruna, 14 –Tijuca
Preço: R$10 + 1 Kg da alimento não-perecível
Ingressos: R$ 10 Venda antecipada nos telefones (21) 8484-8985 begin_of_the_skype_highlighting (21) 8484-8985 end_of_the_skype_highlighting e na bilheteria no dia do evento

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Slayer no Rock in Rio 2013?



Por enquanto não há nada confirmado pela produção do Rock in Rio. Mas fontes secretas garantem que os reis do thrash metal serão anunciados em breve como mais uma das atrações do festival.

Tom Araya, Kerry King, Jeff Hanneman e Dave Lombardo estiveram no Brasil pela última vez em 2011, com a turnê mundial “ World Painted Blood Tour”.

O Rock in Rio 2013 será realizado nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro, na Cidade do Rock (Parque dos Atletas), no Rio de Janeiro.

Chama os moleques da Cone Crew



Os moleques da Cone Crew Diretoria, Rany Money, Cert, Papatinho, Batoré, Ari e Maomé, serão os grandes anfitriões de uma noite completamente dedicada ao Rap. Na próxima sexta-feira, dia 14 de dezembro, a Fundição Progresso será palco do festival #RapRJ, que terá ainda velhos nomes como Gabriel Pensador, Gustavo Black Alien e Shawlin, além de outros representantes da nova geração, Ret, Cacife Clandestino e Beni.

“É sempre muito bom tocar no Rio, mas tocar na Lapa tem sempre um gostinho especial. Ainda mais quando se pode receber amigos como o Gabriel o Pensador, Black Alien, Shawlin e toda essa outra rapaziada que está fortalecendo cada vez mais a cena do Rap Carioca. O que vai ter no #RapRJ é só uma pequena parte do que o Rio tem atualmente pra oferecer, a cena aqui está forte e tem muita gente de qualidade querendo mostrar trabalho”, explica Rany Money.

SERVIÇO
CONE CREW DIRETORIA
Data: 14 de dezembro de 2012, sexta-feira
Local: Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 – Lapa- Rio de Janeiro)
Informações e venda de ingressos: www.fundicaoprogresso.com.br
Abertura da casa: 22h
Início do show: 23h

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Stevie Wonder e Gilberto Gil de graça em Copacacana

 

Para a noite de 25 de dezembro, os cariocas e todos os visitantes da cidade terão um presente muito especial. Dois shows inesquecíveis: Stevie Wonder e Gilberto Gil na praia de Copacabana.

O palco dos shows, localizado em frente ao Hotel Copacabana Palace, é o mesmo que será utilizado na festa de Réveillon. Para esta noite, ele terá as adaptações necessárias para cada apresentação.

A apresentação de Stevie Wonder está marcada para começar às 22h. Reconhecido como um dos mais talentosos músicos da atualidade, Stevie Wonder já vendeu mais 100 milhões de álbuns ao redor do mundo, além de conquistar por 32 vezes o primeiro lugar em single, e estar por 49 vezes na lista do Top 40 singles. Autor de sucessos como You and I, Isn´t she lovely, Master blaster e All in love is fair, Wonder é reconhecido no mundo inteiro por sua atuação humanitária. Um dos marcos da música mundial, a gravação de We are the Worldteve forte participação do músico, assim e reconhecido seu envolvimento em movimentos contra o apartheid na África do Sul.

Gilberto Gil abre a noite às 20h com o show "Andar com Fé", trazendo sucessos de várias fases de sua carreira como Palco, Vamos Fugir, Toda Menina, Andar com Fé e Aquele Abraço. 


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Titãs lança DVD Cabeça Dinossauro Ao Vivo 2012



Lançado em 1986, Cabeça Dinossauro tornou-se símbolo da fase mais rock dos Titãs e consagrou-se como um dos melhores álbuns do gênero. Vinte e seis anos depois e a importância do disco continua evidente, fazendo com que a  banda caísse na estrada para tocar o álbum na íntegra novamente, em 2012, como parte de um ano comemorativo dos 30 anos de carreira.

O que começou com uma pequena temporada no Sesc Belenzinho, em São Paulo, no início do ano, tornou-se uma turnê que rodou o país e acaba de virar um DVD. Paulo Miklos, Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto decidiram pelo registro da apresentação no Circo Voador, no Rio de Janeiro, realizada em julho.

Cabeça Dinossauro Ao Vivo 2012 foi dirigido por Oscar Rodrigues Alves – codiretor do documentário titânico A Vida Até Parece Uma Festa ao lado de Branco -, o DVD traz uma interessante fotografia em preto e branco, com a banda tocando o pesado disco ao vivo, sem firulas, com a pancada que ele merece.

CD e DVD já estão disponíveis, por R$ 24,90 e R$ 33,90, respectivamente, e, em janeiro, chega também uma versão em Blu-ray. O show completo também será exibido no canal por assinatura Multishow, no dia 17 de dezembro, às 21h.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Parabéns Hendrix


Johnny Allen Hendrix ou simplesmente Jimi Hendrix completaria hoje, se estivesse vivo, 70 anos de idade. Nossa justa homenagem ao maior guitarrista de todos os tempos.



quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A transformação do grande Eddie

 
Quem assistiu a algum dos shows da última turnê do Iron Maiden, "The Final Frontier World Tour", ficou impressionado com a presença do "Big Eddie". Apesar de marcar presença em todos os shows da banda, dessa vez o mascote, que apareceu pela primeira vez na apresentação de São Paulo, no estádio do Morumbi, em março de 2011, chamou ainda mais a atenção do fãs.

A escultura gigante foi baseada na arte do desenhista Melvyn Grant para o álbum The Final Frontier. A partir da ilustração original, foi criado um modelo digital do Eddie e o arquivo transformado em uma escultura de poliestireno (isopor) através de um processo conhecido como CNC (Controle Numérico Computadorizado). Depois de pronta, a escultura foi pintada e recebeu uma densa cobertura de silicone e fibra de vidro.

Confira a transformação do grande Eddie.






Com informações do Iron Maiden 666.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Kiss leva seu rock teatral ao Rio de Janeiro e garante a diversão de nove mil pessoas


 
 
Quem foi ao HSBC Arena, no Rio de Janeiro, na noite desse domingo (18/11) viu de tudo um pouco. Muita pirotecnia, explosões e fogos de artifício para todos os lados, maquiagem, tirolesa sobre a plateia, sangue artificial e chuva de papel picado.

Antes dos quatro cavaleiros, de quase dois metros de altura (graças à saltos enormes), entrarem em cena, quem subiu ao palco foi o Viper, novamente com André Matos no vocal. O reencontro marca as comemorações dos 25 anos do álbum "Soldiers of Sunrise", o primeiro da banda. Uma falha da organização que poderia deixar ter divulgado melhor que paulistas abririam o show.

O Kiss começou pontualmente às 21h, logo após o anúncio “You wanted the best, you’ve got the best! The hottest band in the world… KISS!!!”.

Quando o pano com a logomarca da banda que cobria a frente do palco caiu, lá estavam sobre uma plataforma suspensa: "The Catman", Eric Singer, “The Starchild”, Paul Stanley, “The Demon”, Gene Simmons, e “Spaceman”, Tommy Thayer, para a devoção de um público de diferentes idades. Paixão que justifica as quase quatro décadas de existência do grupo e o recorde de produtos licenciados e merchandising.

É bem verdade que o público não compareceu em massa. Mas se considerar a realização em meio a um feriado prolongado, nove mil presentes (segundo a organização) é um bom número. Apesar da grande quantidade de espaços livres nas arquibancadas, a pista estava completamente lotada.

O repertório não deixou de fora as clássicas "Detroit Rock City", "Shout It Out Loud", "Psycho Circus" e teve ainda músicas de "Monster", álbum mais novo, como “Hell Or Hallelujah” e “Wall Of Sound”.

O Kiss justifica o espetáculo e a cada riff ou nova explosão apresenta uma nova surpresa para os fãs. Em “God of Thunder”, Gene Simmons foi içado até o teto. Antes o baixista também cuspiu fogo e fez também seu clássico número de cuspir sangue. Daí o nome do seu personagem.

Apesar do peso da idade condenar em alguns poucos momentos, os sessentões continuam honrando a armadura que vestem e mantendo acesa a devoção do seu público de coroas e jovens, igualmente apaixonados.

Como era de se esperar, o final apoteótico se deu com “Rock And Roll All Nite” e muita chuva de papel picado. Quando as luzes se acenderam era impossível ver uma só pessoa que não estivesse com um sorriso bobo no rosto e completamente realizada. O show do Kiss é, sem dúvida, um daqueles que não se deve perder a oportunidade de ir.


sábado, 17 de novembro de 2012

Cavalera Conspiracy e Krisiun fazem shows impecáveis no Rio de Janeiro


É difícil ver os irmãos Cavalera juntos no mesmo palco e não se imaginar num show do Sepultura.  Apesar do Cavalera Conspiracy ter um som moderno  e com identidade própria, os melhores momentos do show são  quando o grupo toca os clássicos da ex-banda. E não foi diferente na última quinta-feira, no Circo Voador, no Rio de Janeiro.


Mas antes de conferir Max e Iggor, os saudosos fãs do Sepultura ganharam de brinde uma banda de abertura de luxo. O Krisiun - formado por Alex Camargo (vocal/baixo), Moyses Kolesne (guitarra) e Max Kolesne (bateria) - subiu ao palco para divulgar o álbum "The Great Execution", considerado pela mídia especializada um dos melhores discos de 2011. O trio gaúcho mostrou ao público carioca porque está entre as maiores bandas do metal extremo mundial e fez um show impecável, extremo, técnico e rápido.


O ponto negativo da noite ficou por conta do grande intervalo entre as duas bandas. O Cavalera Conspiracy só subiu ao palco quase um hora e meia depois que o Krisiun encerrou sua apresentação.


Quando o público começava a demonstrar sinais de impaciência, Max e Iggor, acompanhados pelo guitarrista Marc Rizzo e pelo baixista Tony Campos entraram em cena. Com o mesmo carisma de sempre, Max prova porque é um dos maiores frontmans do metal mundial. Apesar do peso da idade ser evidente em muitos momentos, o vocalista tem o público sobre controle durante todo o tempo. Como um regente, Max manda e o público obedece.


Apesar de músicas como “Inflikted” e “Torture” serem muito bem executadas e recebidas, os clássicos do Sepultura é que, sem dúvida, justifica a ida da maior parte do público (inclusive desse que vos escreve). Max e Iggor sabem muito bem disso, tanto que o repertório do show é dividido por músicas do Sepultura e Cavalera Conspiracy (oito de cada banda).


Confira abaixo um desses grandes momentos de uma memorável noite, durante a execução de Refuse/ Resist.  Uma noite de total devoção aos irmãos Cavalera.
Set list:
1. Warlord
2. Torture
3. Inflikted
4. Refuse/Resist
7. Sanctuary
8. Terrorize
9. Territory
10. Killing Inside
11. Blunt Force Trauma
12. Black Ark
13. Arise / Dead Embryonic Cells
14. Troops of Doom
15. I Speak HatePlay Video
16. Attitude
Bis
17. Inner Self
18. Roots Bloody Roots


 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Rock in Rio 2013 confirma Muse e Alice in Chains

Alice in Chains


Alice in Chains e Muse são as mais novas atrações confirmadas pela  organização do Rock in Rio.

O Muse ainda não tem data confirmada, mas sabe-se que será a atração principal de um dos dias do evento. Já o Alice in Chains está escalado para a mesma noite do Metallica, 19 de setembro, no palco mundo.

As duas bandas estiveram no Brasil em 2011. O Muse como banda de abertura do U2 e o Alice in Chains como uma das atrações do festival SWU.

O Rock in Rio 2013 acontecerá nos dias 13, 14, 15, 19, 20 e 21 de setembro. Entre as atrações confirmadas já estão Metallica, Ben Harper, Bruce Springsteen, Iron Maiden, George Benson, Ivan Lins, Sepultura e Tambours du Bronx.


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Novo single dos Stones é previsível



Depois de divulgar o single "Doom and Gloom" no início de outubro, os Rolling Stones lançaram nesta quinta-feira (8/11) mais uma música inedita do novo álbum "GRRR!". "One more shot" segue a clássica fórmula da banda: um riff simples de Keith Richards, a batida característica da bateria de Charlie Watts e os vocais emblemáticos de Mick Jagger. Apesar da música ser um tanto previsível e remeter a tantos outros singles da banda, os Rolling Stones estão num estágio que tudo é magnifício, ainda que não tenha nenhuma grande novidade.

O disco "GRRR!" está previsto para chegar às lojas em 12 de novembro, e marcam a primeira reunião de Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood em estúdio depois de sete anos.

Escrita por Jagger e Richards, "One More Shot" foi gravada em Paris e produzida por Don Was, que trabalhou com o grupo nos discos "Voodoo Lounge", "Stripped", "Bridges To Babylon", "Live Licks" e "A Bigger Bang".


Confira abaixo o novo single dos Stones.


Um belo cenário para grandes hits

 
Enquanto muitas bandas investem em grandes cenários na hora de produzir um CD/DVD, o Natiruts mostra que o simples pode ser tão surpreendente quanto qualquer mega-produção. Basta, para isso, uma ideia original e uma excelente locação. E o resultado é o trabalho mais recente da banda, o CD/DVD "Acústico ao Vivo" .

O show, gravado ao vivo no Mirante Dona Marta, tem como cenário a beleza natural e estonteante do Rio de Janeiro, numa das vistas mais privilegiadas da cidade. O registro conta com 3 faixas inéditas (“Supernova”, “Dentro da Música II” e Já Chorei Demais”),  e grandes hits, além das participaçoes especiais de Luiz Melodia em "Pérola Negra", Sônia Savinell em "Sorri, Sou Rei" e Flora Matos no pout-pourrit "Natiruts Reggae Power/Esperar o Sol".
 
Depois de voltar às origens e trilhar uma carreira independente - os três últimos álbums da banda foram lançados por selo próprio - o Natiruts volta a ter uma grande gravadora ao assinar com a Sony Music. O contrato prevê a edição do CD/DVD Acústico ao Vivo e o relançamento de parte da obra fonográfica do grupo, como os álbuns Nossa Missão (de 2005), Reggae Power ao Vivo (2006) e Raçaman (2009).

Abaixo todas as faixas do CD/DVD Acústico ao Vivo.

1.Dentro da Música II
2.Groove Bom
3.Meu Reggae é Roots
4.Andei Só
5.Au de Cabeça
6.Vento, Sol, Coração
7.Reggae de Raiz
8.A Cor
9.Quero Ser Feliz Também
10.Supernova
11.Pérola Negra Part. Especial: Luiz Melodia
12.Glamour Tropical (Rio em Dia de Paz)
13.Espero Que Um Dia
14.Já Chorei Demais
15.Pedras Escondidas
16.Você Me Encantou Demais
17.O Carcará e a Rosa
18.Deixa o Menino Jogar
19.Liberdade Pra Dentro da Cabeça
20.Sorri, Sou Rei Part. Especial: Sonia Savinell
21.Natiruts Reggae Power/Esperar o Sol Part. Especial: Flora Matos

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Músicas para correr

Música faz parte da minha vida desde que me entendo por gente. Não é à toa que sempre me dediquei ao assunto, como fã, jornalista, músico. 

Praticar esportes também é uma outra paixão cultivada desde cedo. Em 2007, quando comecei a participar das primeiras corridas de rua, nunca imaginei que pudesse ultrapassar a barreira dos cinco quilômetros. De lá para cá as distâncias aumentaram um pouco. Dos cinco pulei para os oito, depois para os 21 (meia-maratona) até chegar aos 42,195 quilômetros da maratona. Fato é que independente da distância, eu nunca corri sozinho. No meu ouvido sempre estão grandes nomes da música, seja pop, rock, reggae, metal, rap, new metal, mais um pouquinho de metal.

Quando me perguntam porque comecei a correr, a minha resposta é: além de todos os benefícios cientificamente  comprovados que a corrida é responsável, sempre tive o esporte como um companheiro. O único que me permitia praticar em qualquer momento do dia que me sobrasse livre e, principalmente, que eu pudesse conciliar com a música. 

Impossível mensurar quantas músicas já passaram pelo meu ipod nos últimos cinco anos, mas é fácil apontar aquelas que nunca saíram dele. Músicas que definem o ritmo, que dão um gás, que dão sentido à vida e que estão comigo em qualquer distância. Ei-las:

Iron Maiden - Wasted Years



U2 - In God´s Country


Natiruts - Reggae de Raiz


Slipknot - My Plague


The Police - Message in a bottle





Biquini Cavadão e Plebe Rude dividem o palco na capital do rock

Muitos anos depois de os tempos áureos do rock nacional e Brasília volta a ser, ao menos por uma noite mais, a capital do estilo. Biquini Cavadão e Plebe Rude se apresentam no dia 09 de novembro, a partir das 22h, no Ópera Hall (antigo Marina hall), prometendo uma série de hits que sobrevivem há décadas.
 
Surgido em 1985, o Biquíni Cavadão nasceu do encontro ainda em colégio, de Bruno Gouveia (vocal), Miguel Flores da Cunha (teclados), Sheik (baixo) e Álvaro Birita (bateria). Descobertos por Carlos Beni - ex-baterista do Kid Abelha - contaram com a ajuda de Herbert Vianna, dos Paralamas do Sucesso, na gravação de sua primeira música - "Tédio".
 
A anfitriã e sempre politizada Plebe Rude também surgiu nos anos 80, parte da Turma da Colina, numa época em que a polícia invadia a universidade para bater em estudantes e professores, em que a censura proibia canções e vetava sua execução pública. A banda fez parte da geração Brasília que foi responsável por uma mudança de rumo no rock brasileiro.
 

O show é, sem dúvida, uma grande oportunidade para que os trintões e quarentões matem saudade daquela época dourada do BRock.
 
SERVIÇO:
DATA:09.11.12
HORA:a partir das 22h
LOCAL: Ópera Hall (antigo Marina Hall)
INFORMAÇÕES: (61) 3347-6763 / 3342-2232

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Otto faz show gratuito ao lado do DJ Dustan Gallas

 
Prestes a lançar o CD “The Moon 1111”, o cantor pernambucano Otto realiza uma discotecagem ao lado do DJ Dustan Gallas, no Espaço Conceito Natura, em SP, na próxima quinta-feira, dia 8, a partir das 18h. A entrada é franca.
No encontro, Dustan comandará as pick-ups, enquanto Otto fará intervenções vocais, apresentando o repertório do seu novo álbum, que inclui composições como “Selvagens Olhos, Nego” (feita há quase 10 anos em homenagem a Sabotage), “The Moon 1111″, “Ela Falava”, “Miss Apple e Zé Pilantra”, além de sucessos como “Crua”, “Seis Minutos”, “Janaina”, “Dias de Janeiro”.

“The Moon 1111” é inspirado no personagem Guy Montag, do filme “Farenheit 451″ (1966), do cineasta parisiense François Truffaut, baseado em romance de Ray Bradbury, em que bombeiros queimam livros no lugar de apagar incêndios. O artista bebe também da psicodelia do grupo Pink Floyd.

O CD tem produção de Pupillo e participações de Dengue, do guitarrista Fernando Catatau, do músico Kassin, entre outros. O disco teve suas bases gravadas no Nascedouro de Peixinhos, bairro olindense que faz fronteira com o Recife.

Fonte: Catraca Livre

Tema de abertura do filme 007 é uma obra-prima

Os quatro minutos e quarenta e oito segundos de duração da abertura do mais novo filme de James Bond já fazem valer a ida ao cinema. Exaagero? Não. A introdução do longa metragem, que por sí já é uma obra belíssima, torna-se ainda mais brilhante com a interpretação da cantora inglesa Adele, acompanhada por uma orquestra de 77 músicos.
 
"Skyfall" marca o retorno de Adele, que acaba de ser mãe, ao estúdio, desde que lançou o álbum "21", em 2011. A canção foi gravada nos estúdios de Abbey Road e co-escrita por Paul Epworth, com quem a cantora já tinha trabalhado antes em "21".
 
Confira abaixo "Skyfall'' na íntegra:
 

domingo, 4 de novembro de 2012

Rec Jay lança álbum de estreia

Após o sucesso do video clipe "Na Batida", Rec Jay (rapper de Balneario Camboriu-SC) lança seu Album de estréia, a Mixtape "Atitude é Viver" pelo selo Humbatuque Discos.

São dez faixas reunindo singles que passam pelo Hip Hop Comercial, Underground, R&B, Neo Soul e Samba Rock. O Album foi gravado em Santa Catarina e São Paulo e conta com participações especiais de: Dado Soul, Gelo, Soul Rapaziada e Nickson. A produção musical é assinada pelo DJ Hum.

Beats pulsantes, samplers, scratches e arranjos sofisticados são alguns dos elementos do álbum de estreia do rapper.

Download gratuito: http://www.recjay.com.br

Músico do Tihuana encara lutador do UFC no canal Combate

O programa “Revista Combate” vem cheio de atrações exclusivas neste domingo, a partir das 20h, no canal Combate. Entre elas, uma entrevista exclusiva com o baixista do Tihuana, banda que conta com sucessos como a música “Tropa de Elite”.
O Combate promove o encontro entre rock and roll e MMA. O baixista da banda Tihuana, Román Laurito, faz um treino com Miltinho Vieira, lutador que vai estar em ação na próxima edição do UFC no Brasil, em janeiro. O músico, que é um fã declarado de MMA e faixa-marrom de jiu-jitsu, se mostrou entusiasmado com a oportunidade de dividir o tatame com o peso pena.
"Fazer um rola com o Miltinho seria muita pretensão, digamos que vou apenas absorver ao máximo e ver se ele me ensina aquele famoso triângulo de mão (estrangulamento) que ele é especialista", disse à repórter Renata Aymoré.
Miltinho brincou ainda com a nacionalidade de Román: "Acabei de saber que ele é argentino! Mas tudo bem, vou ensinar o golpe direitinho pra ele."
O “Revista Combate” é a revista eletrônica do canal de lutas, que é a emissora oficial do UFC no Brasil. Os programas inéditos são sempre aos domingos, a partir das 20h.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Command6 lança segundo álbum independente online


 
Formado por Wash (voz), Bruno Luis (guitarra), Attilio Negri (guitarra), Johnny Hass (baixo) e Bugas (bateria), o grupo paulistano Command6 comemora os quatro anos de estrada em grande estilo. O quinteto acaba de lançar “Black Flag”, segundo álbum da carreira.

O novo disco conta com onze músicas, composições de Wash, que abordam desde a inquietude do vocalista, como “Crush The World”, música que abre o disco, até temas como política e a alienação da população brasileira, como em “Ace In The Hole”.

O disco, que pode ser ouvido na íntegra no site da banda (
http://blackflag.command6.com), impressiona não apenas pela ferocidade com que a banda executa cada riff, mas, principalmente pela excelente qualidade.

Difícil eleger o melhor momento do disco, mas vale destacar “Dawn of a Man”, com riffes de guitarras bem marcantes, além de “Lies So Pure” e a própria faixa que dá nome ao álbum. Destaque também para momentos opostos: “Sunshine”, talvez o momento mais tranquilo do disco, “Logic or Nonsense”, um crossover no melhor estilo Ratos de Porão/Sepultura, com refrão em português, e o cover de “Maior Abandonado” que fecha o disco.

Produzido, mixado e masterizado por Bruno Luiz e Adair Daufembach, “Black Flag” comprova porque o Command 6 é um dos grandes nomes do underground e da cena metal brasileira.
 
 
 
 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Muito além do beat box

Fernandinho Beat Box tornou-se conhecido principalmente pela capacidade de imitar com perfeição instrumentos e batidas musicais apenas com a boca. O artista ingressou no Rap com o grupo  Z´Africa Brasil e não demorou muito para ir além. Gravou e se apresentou ao lado de diversos artistas como Marisa Monte, Fernanda Abreu, Elza Soares, Seu Jorge, Wyclef Jean (Fugees), Gabriel o Pensador, Paulinho da Viola, Lenine e outros. Mas foi ao lado de Marcelo D2 que se trabalho se tornou ainda mais popular e reconhecido também fora do Brasil.

Partindo para voos ainda mais altos, Fernandinho estreia como MC em “Caminho Estreito”. O disco traz 15 faixas onde o Fernandinho fala um pouco das suas experiências de vida e passeia por ritmos que vão do reggae ao samba, sem deixar de fora as raízes no Rap, sempre presente nas suas composições. O álbum produzido por Renam Saman e DJ Caíque, traz ainda uma série de convidados especiais.

O Vitrola bateu um papo com Fernandinho que fala um pouco mais sobre sua nova empreitada. Confira.

VN- Você é um nome bastante conhecido não apenas na cena do hip-hop pelo seu trabalho com o beat box. Como foi ir além do beat box e encarar também o papel de MC nesse primeiro trabalho solo?
FBB: É algo novo e contei com algumas pessoas para isso como o Renan Samam, porém era o momento oportuno pra acontecer. Nesse disco estão meus modos de ver a vida, os seres humanos, sociedade, valores e Deus. Com toda certeza quem ouve o disco inteiro ouve o modo do Fernando da Silva Pereira pensar.

VN - O hip-hop nunca esteve tão valorizado. O ritmo que antes era ouvido somente na periferia hoje está em todas as classes sociais. Durante um tempo, uma parte mais radical do hip-hop criticou a postura de artistas que evoluíram, gravaram clipe e fizeram com que o seu som atingisse públicos ainda maiores. Como você vê essa mudança na postura dos artistas do hip-hop?
FBB: Creio que é uma boa evolução, não vejo com maus olhos como os mais conservadores, porém sei que devemos manter as raízes. Acredito que o problema não seja cantar para periferia ou cantar para quem temais poder aquisitivo, mas sim quem fortalecemos quando nos estabelecemos em posições mais altas, que mensagem levamos e qual nossa real intenção. Isso classifica os que realmente estão interessados no crescimento do movimento Hip-Hop.

VNN- O disco reúne diferentes influências como reggae, soul, samba, guitarras pesadas. Como foi o processo de produção do disco? Todas as letras são suas? Como surgiu a ideia para as participações?
FBB: O disco foi produzido pelo Renan Samam e algumas músicas pelo Dj Caíque. Basicamente ia com as minhas ideias e somava à criação dos beats deles. Quanto às letras são minhas e do Renan Samam e as participações foram surgindo conforme a produção foi avançando. Chamei pessoas que tinham a ver comigo e com minha história, tanto de vida quanto profissional, mas alguns artistas infelizmente não foram possíveis e vão ficar para o próximo disco.

VN- Como é a estrutura que você leva para os shows?
FBB: Hoje tenho o formato com Banda e Dj + Dee, essas são minhas prioridades pois acredito que cria uma atmosfera muito boa para execução do meu trabalho. Conto com ótimos músicos e uma boa equipe de backstage. Não que eu vá parar de fazer beat Box,  porém, a prioridade agora é trabalhar meu disco “Caminho Estreito”. Mas no show também tem meu momento de fazer beat box.

VN- Por fim, deixa uma mensagem para a galera que lê o Vitrolanews e que acompanha o seu trabalho.
FBB: Quero agradecer a você que curte, lê e compartilha o Vitrolanews, agradecer de coração a todos que acompanham meu trabalho, lembrar que ele é feito de coração para cada um de vocês. E é simples acompanhar minha agenda basta estar atento às redes sociais (Facebook / Twitter) e pelo meu site www.fernandinhobeatbox.com.br e o site da produtora www.mossproducoes.com.br .E lembro a todos que: não tem como não alcançar, se você sonha e luta, você conquista.


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Gil 70 é um passeio imperdível pela vida de um dos maiores ícones da música brasileira

Foi aberta nesta terça-feira - e vai até o dia 28 de outubro - a exposição “Gil 70”. A mostra, organizada e concebida pelo poeta e designer gráfico André Vallias, é um verdadeiro passeio pela vida e pelo trabalho de um dos maiores ícones da música brasileira: Gilberto Gil.

Ao todo são 21 trabalhos, que vão desde pinturas e grafites, até vídeos, fotografias, esculturas, poesia visual e instalação interativa. As diferentes manifestações artísticas trazem em comum a inspiração nas músicas e/ou na vida de Gil. Além de uma concepção muito caprichada, a exposição impressiona pela riqueza de detalhes. Entre tantos itens que encantam durante a visita, vale destacar o painel de abertura, com um acervo fotográfico com imagens do cantor desde os primeiros dias de vida.

Participam da exposição 25 artistas, poetas, videomakers, músicos, cineastas, programadores e designers: Carlos Adriano, Ricardo Aleixo, Arnaldo Antunes, Lenora de Barros, Vivian Caccuri, Adriana Calcanhotto, Augusto de Campos, Ivan Cardoso, Antonio Dias, Eduardo Denne, Bené Fonteles, Lula Buarque de Hollanda, Jarbas Jácome, Gabriel Kerhart, Raul Mourão, Carlos Nader, Antonio Peticov, Gualter Pupo, Omar Salomão, Daniel Scandurra, Ariane Stolfi, André Vallias, Caetano Veloso, Andrucha Waddington e Luiz Zerbini.

Serviço:
Exposição: “GIL 70”

Abertura: 28 de agosto, ás 19h (para convidados)
Visitação: 29 de agosto a 28 de outubro de 2012 – ter a dom, das 12 às 19h – GRÁTIS – Class. Livre
Local: Centro Cultural Correios (Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro) - 2253-1580
Realização: Centro Cultural Correios
Projeto patrocinado pela Petrobras, Correios e SulAmérica Seguros através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.
Apoio cultural: Centro Cultural Correios

sábado, 25 de agosto de 2012

Lenine apresenta novo show no Theatro NetRio


O projeto Dia de Biscoito, no Theatro Net Rio, traz ao Rio de Janeiro o cantor Lenine, nos dias 27, 28 e 29 de agosto.

Com direção musical do próprio Lenine, em parceria com Bruno Giorgi e JR Tostoi, o show tem em cena os três num espaço repleto de instrumentos e equipamentos eletrônicos responsáveis por reproduzir os ruídos orgânicos que permeiam nove das dez faixas do disco, como “Chão” (Lenine / Lula Queiroga), “Envergo mas não quebro” e “Isso é só o começo” (Lenine/Carlos Rennó).

Chão é considerado um show intimista, mas se vale de uma grande estrutura de som e luz - o dobro do equipamento utilizado para apresentações das turnês anteriores. Esse novo espaço sonoro criado pelo sistema quadrifônico trouxe, naturalmente, a possibilidade para Lenine dar protagonismo ao ruídos, vozes e áudios de sua discografia - como as referências a Caju e Castanha na composição “A Ponte”, do álbum O Dia em Que Faremos Contato. Sucessos indispensáveis como “Jack Soul Brasileiro”, “Leão do Norte” (Lenine/Paulo César Pinheiro) e Paciência (Lenine/Dudu Falcão) também ganharam versões nesta nova atmosfera.

Chão, produzido e tocado por Bruno Giorgi, JR Tostoi e por Lenine, é o décimo álbum de carreira do cantor e compositor. Numa evidente opção estética – instigada pelo canto de um pássaro, que invadiu a gravação de uma das faixas - o trabalho revela-se “eletrônico, orgânico e concreto”, com dez músicas inéditas, imersas na delicada intimidade de ruídos sem edição.

SERVIÇO:
DIA DE BISCOITO – LENINE

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).
Ingresso: R$ 80,00 (Plateia) / R$ 60,00 (balcão) – Idosos, estudantes, assinantes O Globo e NET têm 50% de desconto.
Data: 27, 28 e 29 de agosto.
Horário: 21h.
Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060
Site: www.theatronetrio.com.br

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Quando é que a música fica pronta?


É uma pergunta curiosa, não? Bem, em toda minha vida já consegui a façanha de fazer duas músicas. Simplezinhas, tadinhas, mas saíram... assim, assim.

Quando consegui encaixar a letra na melodia tive aquela sensação de trabalho concluído. No dia seguinte, porém, voltava aquela dúvida de que tinha de mexer em mais alguma coisa: um acorde, um detalhe melódico, umas palavras.

Em resumo,  compor música não seja tão diferente de escrever um texto. A gente sente quando ela ganha uma estrutura de algo finalizado, mas se volta a lamber a cria, sempre vai achar que tem algo faltando.

Escrever é assim. Nunca fica pronto. Sempre que voltarmos a ele teremos o que cortar, acrescentar, mudar. Somos nós que precisamos decidir o momento de dizer: Chega, terminei!Somos nós que precisamos cortar o cordão umbilical para que a cria deixe de ser parte de nós e passe a ser do mundo.

Acho que isso é o mais difícil, não? Enquanto não está pronta, é nossa. Enquanto está inacabada, é passível de melhorias. Enquanto não concluímos, podemos alimentar em nós mesmos a ilusão de que chegaremos, quem sabe um dia, à perfeição.

Pronta, ela passa a não ser mais só minha. Ela é publicável. Visível, permitindo que outros deem a ela sua interpretação, cargas de sentido que nós nunca imaginaríamos, perdemos o total controle sobre a coisa criada. Ahhhh, isso dói! Estará lá, exposta a todos... para ser lembrada, enaltecida, criticada ou esquecida, mas será do mundo, não mais nossa.

Quantas crias você tem aprisionadas na gaveta ou num arquivo esquecido do computador? Quantos fantasmas escondidos, implorando pela libertação? Quantos pontos finais em suspenso, esperando o alívio do papel? Se a criatura cria dor, o criador a cria atura. Liberte-a, liberte-se!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

OQuadro: Rap sem limites

Falar do hip-hop baiano sem citar o trabalho dessa galera de Ilhéus é tão inevitável quanto falar do Vaticano sem citar o Papa.  Do início das atividades em 1996 até os dias de hoje muita água rolou. A cena musical mudou, tendências passageiras surgiram, artistas abriram mão de suas ideias e muita gente ficou pelo caminho. Mas alheios a qualquer modismo ou chuva passageira, OQuadro segue inabalável, na ativa, e mais vivo do que nunca. Além das influências distintas - que vão do rock ao dub, passando pelo jazz, ragga e ijexá – o grupo traz na bagagem o aprendizado de todos os anos na estrada, tocando no mais underground dos guetos ou no teatro Castro Alves.

E o resultado do primeiro (e tão aguardado, diga-se de passagem) disco da banda não poderia ser outro: música de primeira linhagem, que transcende ao comum e foge de qualquer clichê. O CD homônimo traz 11 músicas, como as clássicas “Evolui (Bem Aventurados)”, “Balançuquadro” e “Planeta Diário”.  Gravado no estúdio da produtora Coaxo do Sapo e mixado pelo produtor e engenheiro de som, Buguinha Dub, o álbum conta com participações importantes como de Guilherme Arantes, da rapper Lurdez da Luz e do Mc Dimak.

Vitor Irregular (batera), Rans, Freeza e Jef (vocais), Jahgga (percussão), Rico (baixo / EFX) e Rodrigo Dalua (guitarra / sinth) fazem valer cada acorde e cada rima, cada efeito e cada batida. Se fosse necessário definir tudo em uma sua palavra, sem dúvida feeling seria a melhor delas. Os moleques do litoral sul baiano cresceram cantando a verdade e mostrando que 16 anos não são 16 dias, afinal “bem aventurados os que não morrem estagnados e bem ditos sejam os que evoluem”.

 Clique aqui para ouvir o disco na íntegra.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Acordes ocultos

Fã que é fã nunca se contenta em apenas comprar o disco e ouvir em casa, no carro, no ipod, celular (viva a vida moderna!). Tem também que ler o encarte, decorar a letra, descobrir alguma coisa exclusiva. Na minha época era no vinilzão. Lembro bem que se não tinha grana para comprar o bolachão, comprava uma fita K-7, agilizava a gravação do "play" e era só começar a ouvir repetidamente.

Mas já que hoje temos muitas outras maneiras de ouvir o som de uma banda, vale a pena vasculhar o youtube e tantos outros sites para descobrir os acordes ocultos nas chamadas "backing tracks". Sabe - se lá até que pontos as gravações são realmente verídicas e/ou originais. Há casos que fãs músicos minimalistas reproduzem fielmente os acordes, mas em muitos outros (talvez maioria), as gravações originais foram disponibilizadas separadas por instrumentos  e canais de áudio. As guias de guitarra, com o metrônomo ainda, só bateria, só baixo, baixo e voz, bateria e guitarra, tem de tudo.

Abaixo alguns links que levam às chamadas backing tracks. É bem bacana descobrir novos acordes, uma virada descompassada ou perfeitamente executada. Coisas de fã que nunca se cansa de ouvir e (re) descobrir aquele som que marcou e continua sendo o mais tocado em sua casa, no carro...

Master Of Puppets


Symphony of Destruction


Blitzkrieg Bop


Where The Streets Have No Name

terça-feira, 24 de julho de 2012

Beethoven encontra a percussão



O multi-talentoso Ted Kirkpatrick, baterista da banda de thrash metal Tourniquet tem uma predileção por música clássica.

Regularmente, ele expõe influências destas obras em suas canções. E decidiu gravar o inusitado "In The Shadows Of The Masters".

Um álbum solo em que ele emerge um verdadeiro tributo a grandes clássicos. Ele tomou obras clássicas de Bach, Beethoven, Mozart e Paganini e acrescentou uma camada de bateria.

Um passo corajoso, mas arriscado. Pois ainda há algo a ser acrescentado a esses clássicos?

O engraçado é que o baterista conseguiu retirar aquele estigma de "dar ritmo"e fez o instrumento falar fluentemente o idioma das obras-primas com profundidade e riqueza. Altamente recomendado!



Ouça aqui!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Red Hot Chili Peppers lança versão interativa do clipe "Look Aroud"

O Red Hot Chili Peppers é uma banda que ainda merece o rótulo de banda surpreendente. O quarteto lançou nesta segunda-feira (6) uma nova versão do clipe de "Look Around". A grande novidade é que a nova versão é totalmente interativa. No vídeo, o fã pode dirigir o clipe, controlando o movimento da câmera utilizando o teclado do computador.

O clipe traz cada um dos quatro integrantes da banda em um cômodo diferente de uma casa, havendo interação entre eles em alguns momentos. Na nova versão, além de dar zoom na imagem também é possível mudar o ângulo da câmera para escolher qual cômodo se quer assistir.

Além da música ser digna dos Chili Peppers, a brincadeira de conduzir o clipe acaba sendo muito legal.

Confira:

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Rider Weekends encerra primeira edição com três festas

Sargento Pimenta
O evento Rider Weekends encerra a temporada de verão no Jockey Club do Rio, no próximo final de semana. Fechando a programação, três festas variadas: Favela Chic, na sexta-feira, dia 3; e Madureira Disco Club e I Love Pop, no sábado, dia 4. No domingo, dia 5/2, as atrações são o bloco do Sargento Pimenta, que contará com a participação especial de Léo Jaime e Rodrigo Santos, e o Samba de Santa Clara, que abriu o evento.

A festa Favela Chic é conhecida pelo público carioca por sua mistura de ritmos. Em três anos a festa já reuniu mais de 50 mil pessoas em 26 edições. De volta ao Jockey para edição exclusiva, as atrações convidadas são Bucheca e MC Andinho. Além dos DJs Bernardo Malta, Darke Mattos e Kako.

No sábado, dia 4 de fevereiro uma dupla no mínimo inusitada: Madureira Disco Clube e I Love Pop. A festa Madureira Disco Clube surgiu em junho do ano passado da vontade de fazer um baile de charme na Zona Sul do Rio, onde os mestres do gênero de Madureira recebessem como convidados outros DJ's brasileiros especializados em black music. Já I Love Pop - uma das festas de maior sucesso no Rio de Janeiro - reúne Djs tocando o que há de mais pop em seus cases. Vale de tudo, desde Scissor Sisters a Lady Gaga, dependendo do gosto de cada DJ.

O encerramento do Rider Weekends ficará a cargo do Bloco do Sargento Pimenta, no domingo, dia 5/2. O bloco foi idealizado visando à união de dois mundos: a música dos Beatles e os ritmos brasileiros. No repertório, não faltam os clássicos "I wanna hold your hand", em ritmo de samba enredo, "A hard day's night" funkeada, "Hey Jude", transformada em ciranda, entre outras releituras do Quarteto de Liverpool.

Para esta apresentação, o bloco contará com as participações do ator, cantor, compositor e apresentador de TV Léo Jaime e o baixista do Barão Vermelho Rodrigo Santos, ambos fãs incondicionais dos Beatles. O repertório em ritmo de marchinha, sucessos dos Beatles como "All my loving", "She loves you" e "Yellow submarine". Na mesma noite, o Samba de Santa Clara volta ao Jockey para repetir o sucesso do primeiro dia do evento, com releituras e homenagem ao mestre Jorge Ben Jor em ritmo de Carnaval. O grupo reuniu três mil pessoas na abertura do Rider Weekends, no dia 05 de fevereiro, quando comemorou um ano de seu primeiro desfile.

PROGRAMAÇÃO DO RIDER WEEKENDS

Dia 3/02 – Sexta-feira: Favela Chique
Dia 4/02 – Sábado: Madureira Disco Clube + I Love Pop
Dia 5/02 – Domingo: Bloco do Sargento Pimenta Part. Leo Jaime e Rodrigo Santos

LOCAL: Jockey Club
ENDEREÇO: Rua Jardim Botânico, 1.003 - Gávea
Dias: 3/4 e 5 de fevereiro de 2012
Sextas e sábados, das 22h às 04h30 e domingos, a partir das 19h
HORÁRIO: 22h às 4h30
PREÇO: R$ 40,00 (meia entrada e preço promocional, levando 1Kg de alimento a ser doado para a o INCAvoluntário em prol dos pacientes com câncer.
Informações: (21) 2540-6442

Reunião (in)certa

Bill Ward, baterista do Black Sabbath ameaça não participar da gravação do álbum e dos shows que marcam o grande reencontro do grupo. A turnê reúne a formação original do Sabbath depois de 33 anos.
"Sou incapaz de continuar a não ser que um contrato 'assinável' seja feito; um contrato que reflita com alguma dignidade e respeito para mim enquanto um membro original da banda", escreveu Ward em seu Facebook nesta quinta (2). "Por mais que eu queira tocar e participar, também tenho que lutar por algo e não assinar".

O baterista concluiu sua nota dizendo que, se assinar o contrato, perderá seus "diretos, dignidade e respeito enquanto um músico de rock". Ele faz questão de dizer que sua indignação não é motivada por dinheiro. "Gostaria de algo que me reconhecesse e refletisse as minhas contribuições para a banda".

O retorno da formação original do Black Sabbath aos palcos foi anunciado em data cabalística (11/11/11). A banda será a principal atração do Download Festival, no dia 10 de junho, e um álbum de músicas inéditas produzido por Rick Rubin está previsto para ser lançado no segundo semestre de 2012. Resta esperar se Bill Ward vai cumprir o anunciado retorno ou não.

Jack White anuncia álbum solo

O ex-líder do White Stripes anunciou nesta segunda-feira (30) o seu primeiro disco solo, Blunderbuss. De acordo com informações do site oficial do artista, o álbum estará nas lojas no dia 23 de abril.

O guitarrista é um workaholic de primeira no quesito musicalidade. Mas os fãs do cantor já podem ouvir uma amostra do que vem por aí. No site, está disponível o primeiro single de trabalho do disco, Love Interruption.

De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira, o álbum foi gravado em um estúdio de Nashville. White disse que as músicas foram escritas "do zero, não têm relação com ninguém, mas apenas com a sua expressão, suas próprias cores e sua própria tela".

Jack White também faz parte das bandas The Raconteurs e The Dead Weather. O términodo White Stripes foi anunciado no site oficial em 2 de fevereiro de 2011. Ouça!



Solo inédito de Harrison em "Here Comes The Sun" é descoberto

Durante as edições para o documentário George Harrison: Living in the Material World, com direção de Martin Scorsese, uma raridade chamou a atenção dos pesquisadores.

O trio formado pelo filho de Harrison, Dhani, ao lado do produtor George Martin e seu filho Giles encontrou um solo inédito do músico durante a faixa Here Comes The Sun.

O vídeo (assista abaixo) mostra o grupo reunido no estúdio Abbey Road, local onde foi registrado o disco que leva o nome do local, em 1969. "Eu nunca tinha ouvido isso antes", declara Dhani ao ouvir as fitas que trazem o conteúdo original com as gravações de Here Comes The Sun, em uma das cenas que integram a parte extra do documentário

O vídeo George Harrison: Living in the Material World já foi exibido no Brasil durante o Festival do Rio, em outubro de 2011.


terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Criolo lança clipe com Ilê Ayê

O que esperar da mistura entre o Rap e a música afro? Apesar de cada estilo ter as suas particularidades, o Rap e a música Afro possuem também semelhanças. Principalmente por serem expressão direta do gueto. Os ritmos expressam a voz do povo negro e de todas as pessoas que, independente da cor, estão à margem da sociedade.

E dessa (im) provável mistura nasceu uma parceria para lá de espetacular. O rapper Criolo uniu-se ao Ilê Aiyê, um dos mais tradicionais blocos afros da Bahia, para gravar a música "Que Bloco é Esse?". O resultado é um clipe com fotografia e edição impecáveis.

Dirigido por Ricardo Spencer, o vídeo mostra o rapper Criolo encantado com o peso do batuque do Ilê, caminhando pelas ruas da Liberdade, tradicional bairro negro de Salvador, até chegar ao local de ensaio do grupo. No clipe Criolo também é batizado pelo grupo e recebe o abadá do Ilê Ayiê.

Confira abaixo o resultado de que "Que Bloco É Esse?", com Criolo e Ilê Ayiê:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Por "fragilidade física", Rita Lee anuncia que não fará mais shows

Rita Lee se apresentou neste sábado (21) no Circo Voador, no Rio de Janeiro. Durante o show, a cantora anunciou sua aposentadoria e que aquela seria sua penúltima apresentação. "Aposento-me de shows, da música nunca. Quem me viu ontem pode bem atestar minha fragilidade física. Saio de cena absolutamente paixonadacocês", disse no Twitter.

Esta foi a primeira vez que Rita Lee se apresentou na casa de shows carioca. A novidade pegou os fãs de surpresa. Ainda no Twitter, ela agradeceu o público. "Criaturas do Circo Voador, gentileza de gente, molecada amiga da minha vida feliz, gracias por la noche. Love you vcs forévis", escreveu.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Iron lança DVD ao vivo gravado no Chile

A turnê de divulgação do álbum The Final Frontier, de 2010, originou mais um DVD ao vivo do Iron Maiden. En Vivo!, nome dado ao registro gravado em Santiago, no dia 10 de abril do ano passado, chega às lojas no dia 26 de março e estará disponível também em Blu-Ray.

Ao todo são 17 músicas tocadas na capital chilena, numa apresentação que reuniu cerca de 50 mil pessoas. Steve Harris destacou que a banda sempre fica impressionada com a reação dos fãs da América do Sul e o show que dá origem ao novo DVD/ Blu-Ray foi um dos mais marcantes da última turnê da banda.

Além do show completo, com 2 horas de duração, um disco bônus vai trazer o documentário Behind The Beast - que mostra os bastidores da última turnê do Maiden - e uma versão extendida do clipe de Satellite15...The Final Frontier, entre outros extras.

Abaixo, o tracklist de En Vivo!:

01. Satellite 15
02. The Final Frontier
03. El Dorado
04. 2 Minutes To Midnight
05. The Talisman
06. Coming Home
07. Dance Of Death
08. The Trooper
09. The Wicker Man
10. Blood Brothers
11. When The Wild Wind Blows
12. The Evil That Men Do
13. Fear Of The Dark
14. Iron Maiden
15. The Number Of The Beast
16. Hallowed Be Thy Name
17. Running Free

O futuro do rock na indústria musical - Parte 6576543,4

O assunto já foi tema de fóruns e todo bla-blá-bla possível e desta vez, executivos já afirmam que os agentes de música estão com medo de apostar em bandas rock. Quem é o autor dessa afirmação? Trata-se de Jim Chancellor, da Fiction Records.

Os britânicos do The Vaccines, que lançou seu álbum de estreia no ano passado, afirmou que os discos do segmento não deveriam ser baseados em vendas.

"Tantas pessoas falam sobre a morte do rock, mas existem ótimos álbuns contemporâneos", disse o vocalista Justin Young ao Gigwise.

Segundo ele, essa discussão já é velha e irritante. "Vários grupos dos anos 80 não tiveram impacto nos charts, mas não deixaram de ser importantes. É entediante". O fim do rock é um assunto comentado por vários músicos. Desde Noel Gallagher, que mostrou desagrado pelo domínio das músicas Pop nas rádios ao Tom Meighan, vocalista do Kasabian. "Existe uma escassez de Rock n' Roll neste momento. Estou feliz por estarmos aqui. As pessoas têm medo de fazer algo que soe bom nas rádios", afirmou.

O rock perdeu sua “originalidade” por conta do interesse comercial? Talvez. A cultura passou a ser aviltada pelo interesse do sistema capitalista. E na onda de citar autor em textos, Adorno certa vez questionou no “O fetichismo na música e a regressão da audição” quais seriam os problemas que a reprodução da música por meio do disco e do rádio trariam à cultura.
Além disso, fazendo uma análise musical, tomando o jazz como principal referência, o autor vai demonstrando como determinados padrões de repetição estética empobreceriam o gosto musical das pessoas.

Sem dúvida, nos dias de hoje, muitas pessoas moldam seu gosto musical por meio de padrões estéticos e simbólicos oferecidos pelos meios de comunicação. Ao mesmo tempo, as gravadoras cada vez mais se preocupam em vender do que privilegiar o processo criativo livre dos artistas.

A porrada na cara dos empresários foi tão grande que até mesmo o conceito de banda "grande" mudou. Hoje, uma banda para ser conhecida nacionalmente não precisa de uma grande gravadora, um bom CD, a divulgação do seu material musical pela internet é o suficiente...