segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Retrospectiva 2008 - Parte I

2008 foi um ano com muitos acontecimentos importantes para a música. Por isso, para que um ano tão sugestivo não passe em branco, o VitrolaNews resolveu reeditar alguns dos principais posts de 2008. Para cada mês do ano, escolhemos o post mais comentado e/ou polêmico. Confira:

Janeiro: Quase um revival

Os músicos Mick Jones e Topper Headon, ex-integrantes da banda punk The Clash, dividiram o palco pela primeira vez em 25 anos. O encontro aconteceu na noite de sexta-feira (11/01), durante uma apresentação da banda nova do guitarrista Jones, Carbon/Silicon, em Londres. No bis, o baterista Topper Headon subiu ao palco para tocar alguns clássicos do Clash.

Os músicos apresentaram os sucessos "Train in Vain" e "Should I Stay or Should I Go". O show em Londres foi o primeiro de uma residência de seis noites que o Carbon/Silicon fez em um pub local. O grupo formado por Mick Jones --que além do Clash também fez parte do Big Audio Dynamite-- também tem o guitarrista Tony James, ex-Generation X e Sigue Sigue Sputinik, na formação.

Até que a banda anunciasse sua dissolução nos anos 80, o Clash produziu uma série de clássicos punks, destilando a depressão, ódio e energia do Reino Unido daquela época.Joe Strummer, líder do grupo, morreu aos 50 anos, em sua casa, no oeste da Inglaterra, de causa desconhecida, em 2002.

Fevereiro: A volta dos irmãos Cavalera

Quando o VitrolaNews fez a sua análise do esperado "Cavalera Conspiracy", o álbum não havia nem sido lançado ainda. Com o suporte de quem entende muito de metal, foi assim que demos a notícia:

O álbum já foi lançado??? Oficialmente pela gravadora não, mas pela “internet records” sim... Essa aí também não é a capa do álbum, porém, essa foto define bem o gesto pelo qual esperávamos há anos por parte dos irmãos Cavalera. E o reencontro não poderia ser traduzido de maneira diferente senão em forma de música. O projeto foi batizado de “Cavalera Conspiracy” e "Inflikted" é o nome do álbum.

Produzido por Logan Mader (ex-Machine Head, Soulfly) o álbum conta com a ilustre participação de Rex Brown (ex-Pantera) e Ritchie Cavalera (enteado de Max). Pois bem, dessa vez tudo "conspirou" a favor dos Cavalera. Os aliados Joe Duplantier (Bass-Gojira) e Marc Rizzo (Guitar-Soulfly) dão conta do recado com extrema competência, como já o fazem em suas bandas principais. É bem verdade que de nada adiantaria toda essa badalação se a música não correspondesse à altura. Para quem ainda tem lá as suas dúvidas sobre o que irá escutar vou logo adiantando: Cuidado para não se emocionar e passar vergonha na frente dos amigos, pois eles mandaram ver neste CD. Logo de cara, a faixa título nos leva a dizer: "São eles!!!", em seguida “Sanctuary” confirma que os dois não esqueceram nada do que aprenderam. E, lá no fundo, sabíamos disso. Todas as influências que permeavam o Sepultura estão no disco: Thrash, Hardcore, Punk, muito peso e tudo soando completamente autêntico, como sempre foi o Sepultura, sem medo da "modernidade".

Não adianta querer ficar comparando com esse ou aquele álbum da era Sepultura, porque as diferenças vão existir assim como as semelhanças, já que boa parte daquela essência se faz presente neste projeto. Além das ótimas “Inflikted” e “Sanctuary”, ao longo do álbum nos deparamos com as pesadíssimas “Terrorize” e “Dark Ark”, um pouco de Nailbomb se faz presente em “Ultra-Violent” e as boas palhetadas que finalizam “Hearts Of Darkness” nos fazem lembrar dos velhos tempos.

O “grand finale” vem com o bom e velho “Um, dois, três, quatro!!!” ao final de “Must Kill”. Destaques para a produção, os vocais ultra-agressivos de Max, o peso das cordas, além da impressão de vermos o Iggor tocando com dois martelos. Enfim, a capacidade e sabedoria com que estes dois caras sempre criaram a sua música, unindo influências e elementos de dentro e fora do Metal, homogeneizando tudo isso e traduzindo esses sentimentos em forma de agressividade. Duas palavras que representem “Inflikted”: Pesado e Direto!!!

Murilo Costa* especial para o VitrolaNews.

Março: Iron retorna ao Brasil

Os ingleses do Iron Maiden voltaram ao Brasil depois da memorável apresentação no último Rock In Rio. O Grupo fez três apresentações em três cidades brasileiras. Em São Paulo o show foi no dia 2, Curitiba (4) e Porto Alegre, 5 de março.

Os shows fizeram parte da turnê mundial "Somewhere Back in Time". No repertório a banda reviveu os principais clássicos da década de ointenta, com base nos discos "Powerslave" e "Somewhere in Time".Os fãs tiveram mais um contato com o gigante Eddie, mascote da banda, Steve Harris e companhia. Entre os sucessos da banda, músicas como "2 Minutes to Midnight", "Aces High" e "Wasted Years", a própria “Powerslave”.

O sucesso foi tanto que a banda já tem datas agendadas para voltar ao Brasil em 2009.

UP THE IRONS!

Abril: Rod Stewart faz shows no Rio de Janeiro e São Paulo

O cantor britânico Rod Stewart voltou ao Brasil em abril e se apresentou em São Paulo, no dia 04, e no Rio de Janeiro, dia 5. Os ingressos para o show paulistano, no Parque Antarctica, custaram de R$ 140 a R$ 700. O show carioca, no RioArena, tiveram os bilhetes entre R$ 200 e R$ 500.

Nos shows, Stewart cantou sucessos de carreira e canções de seu disco mais recente, " Still the Same: Great Rock Classics of Our Time " (2006). O álbum é marcado por releituras de Bob Dylan, The Pretenders, Creedence Clearwater Revival, entre outros.

Maio: Megadeth, Whitesnake e Queensrÿche voltam ao Brasil

Os grupos Whitesnake, Queensrÿche e Megadeth voltaram ao Brasil e se destacaram entre os principais artistas de metal que passaram pelo país em 2008.

Liderado por David Coverdale, o Whitesnake promoveu o álbum "Good to be Bad" (2008) e apresentou o melhor de seus 30 anos de carreira. A banda tocou em Manaus no dia 3 e depois se apresentou em Belo Horizonte, Rio, São Paulo e Curitiba, nos dias 6, 7, 9 e 10, respectivamente. Além de Coverdale, a atual formação conta com Reb Beach (guitarra), Doug Aldrich (guitarra), Timothy Drury (teclados), Uriah Duffy (baixo) e Chris Frazier (bateria).

O Queensrÿche, que se apresentou no Brasil na segunda edição do festival Rock In Rio (1991), mostrou o melhor de sua discografia na turnê "Hits and Rarities", com destaque para temas dos álbuns "Rage for Order" (1986), "Operation Mindcrime" (1988), "Empire" (1990), "Promised Land" (1994), "Operation Mindcrime II" (2006) e o recente "Take Cover" (2007). A banda iniciou a turnê brasileira no Rio, no dia 08 de maio, e depois seguiu para Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo, nos dias 10, 15 e 16, respectivamente.

Já o Megadeth, liderado pelo guitarrista e vocalista Dave Mustaine, tocou em Goiânia, Curitiba, São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Manaus nos dias 3, 5, 6, 7, 8 e 15 de junho, respectivamente. O grupo promoveu seu mais recente álbum, "United Abominations" (2007).

Junho: Coldplay lançou Viva La Vida or Death and All His Friends

Em "Viva La Vida or Death and All His Friends", quarto disco do Coldplay, lançado em junho, a evolução dos ingleses ficou explícita em faixas como Lost!, Viva La Vida, Violet Hill e Lovers in Japan.

O tão aguardado álbum chamou a atenção não só pela qualidade técnica do quarteto, mas, principalmente, pela segurança e criatividade ao experimentar instrumentos no mínimo inusitados. Como um sino (isso mesmo, um sino idêntico aos de igreja!) em Viva La Vida e a sonoridade surpreendentemente agradável do wardrum (um instrumento percussivo, algo como um tambor de guerra, com diz o nome) utilizado em Violet Hill e Viva La Vida.

A idéia de usar um "tambor de guerra" em uma canção como Viva La Vida – faixa que dá título ao álbum - é um tanto paradoxal, já que um instrumento usado por tanto tempo com a intenção de ditar o ritmo das batalhas desta vez foi usado como uma peça fundamental de um arranjo, no mínimo, emocionante.

Como de praxe, o disco trouxe muitas baladas, que de cara nos fazem reconhecer e identificar o timbre de voz marcante de Chris Martin. Destaque também para as faixas Strawberry Swing e Cemetery of London, umas das mais rápidas do disco.


Julho: O Post mais polêmico do ano

O fim anunciado do Engenheiros do Hawaii originou um post que, sem dúvida, foi o mais polêmico do ano. Por isso, segue o replay na íntegra do que foi escrito no dia 28 de julho de 2008.
Já foi tarde...
Na semana passada uma notícia “abalou” o cenário pop nacional: A banda Engenheiros do Hawaii anunciou, através do seu líder Humberto Gessinger, uma pausa sem prazo para o retorno aos palcos.

Hã?! E daí?! Que me perdoem os saudosistas e todos aqueles que adoram curtir e viver da nostalgia, mas Gessinger, excelente cantor e compositor, já devia ter partido para outra há muito tempo. Ao contrário de outras bandas, que mesmo com os anos conseguiram uma fórmula para manter-se na ativa, a exemplo dos Paralamas do Sucesso, e até mesmo do Capital Inicial e todos os “vamo lá moçada” de Dinho Outro Preto, os Engenheiros perderam a “mão” e não conseguiram se encontrar mais depois da separação de sua formação clássica. Um trio que tinha, além de Humberto Gessinger (vocal e baixo), Carlos Maltz (bateria) e o guitarrista Augusto Licks.

Na verdade, a melhor fase da banda foi vivida com essa formação durante os quatro primeiro discos (Longe Demais das Capitais – 1986, A Revolta dos Dândis - 1987, Ouça O Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém - 1988 e Alívio Imediato - 1989). Em 1990, com o Papa é Pop, as coisas já não eram mais as mesmas e os Engenheiros do Hawaii também não. Depois daí foram sucessivas mudanças de formação, até que a “Infinita Highway” continuasse a ser trilhada apenas por Gessinger.

A pausa dos Engenheiros marca o início de uma outra fase para o músico gaúcho, que a partir de agora se dedicará à dupla Pouca Vogal, recém-formada por ele com Duca Leindecker, vocalista do grupo Cidadão Quem.

Então, que os novos ares tragam mais inspiração para Gessinger e, quem sabe assim, uma nova luz para a música pop nacional, atualmente tão pobre e sem novidades. Por fim, parafraseando o poeta Vinícius de Morais, “Chega de saudade”, por que os Engenheiros já foram tarde, muito tarde!!!

Agosto: U2 retorna ao cinema com o filme “U2 3D”

A estréia oficial no Brasil aconteceu no dia 29 de agosto, mas muito antes os ingressos para o filme da banda irlandesa U2, “U2 3D”, já estavam à venda.

O filme, como o próprio nome sugere, recriou um ambiente em 3D com muito realismo, mostrando como é uma apresentação ao vivo da banda. “U2 3D” foi dirigido por Catherine Owens e Mark Pellington, e filmado com 18 câmeras, durante a passagem da turnê “Vertigo” pela América do Sul, em 2005 e 2006, incluindo um trecho da apresentação em São Paulo.

A obra foi apresentada como o primeiro concerto em 3D. Ao todo foram mais de 700 horas de gravação, reduzidas a 85 minutos de filme, com imagens inovadoras, em terceira dimensão, tomadas aéreas da platéia de quase 80.000 pessoas e closes de Bono Vox, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr, com um qualificado sistema de som.

No longa, os fãs puderam conferir alguns sucessos como "Vertigo" , "Where The Streets Have No Name", "Beautiful Day", "New Year's Day", "Sometimes You Can't Make It on Your Own", "Love and Peace", "Sunday Bloody Sunday", "Bullet The Blue Sky", "Miss Sarajevo", "U.N. Declaration Of Human Rights", "Pride (In The Name Of Love)", "One", "The Fly", "With Or Without You" e "Yahweh".

Essa não foi a primeira vez que o U2 vira atração no cinema. Em 1988 o filme documentário "U2 Rattle and Hum" também tornou-se um sucesso de bilheteria, originando CD com mesmo nome.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Coldplay coloca para download nova versão de "Viva la Vida"

O grupo britânico Coldplay colocou em seu site (www.coldplay.com) uma nova versão da música "Viva la Vida", single do disco "Viva La Vida or Death and All his Friends" (2008). O remix foi feito por Thin White Duke - pseudônimo do produtor Stuart Price - e está disponível para download até o dia 5 de janeiro.

Thin White Duke já trabalhou com músicas de Madonna, Keane e The Killers. Seguindo a fórmula de outras bandas, que todos os anos deixavam nesta data uma música inédita para os fãs, o Coldplay quis agradecer com este presente "o incrível apoio recebido durante 2008", segundo afirmam no próprio site. Além disso, o Coldplay também incluiu em sua página na Internet um vídeo no qual, com gorros de Natal, interpretam uma música natalina junto com o ator Simon Pegg.

Polêmica

No início de dezembro, o Coldplay foi indicado a seis Grammys e a música "Viva La Vida" entrou nas categorias "gravação principal" e "canção do ano".Um dia após a cerimônia de indicados ao Grammy, o guitarrista Joe Satriani entrou na Justiça acusando o Coldplay de ter usado trechos de uma música sua na faixa "Viva La Vida".

O processo, apresentado a um tribunal federal de Los Angeles, alegava que a música "Viva La Vida" tem "trechos originais substanciais" de "If I Could Fly", canção instrumental lançada por Satriani em 2004.

Dias depois, o Coldplay comentou que as semelhanças entre sua música e a de Joe Satriani são coincidência. "Joe Satriani é um ótimo músico, mas ele não compôs ou influenciou a música 'Viva La Vida'", disse o grupo em comunicado. Em entrevista ao jornal britânico "The Mirror", o vocalista Chris Martin disse que a polêmica com Satriani chegou a colocar a banda em conflito e que a polêmica quase acabou com o grupo.

Fonte: UOL/ Agência Efe

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

1001 discos para fugir do dingobél

Já disse a filósofa da música popular brasileira “Então é Natal...”. Assim, nada melhor do que se render ao período e fazer a festa com os amigos, confraternização no trabalho, cervejada e, claro, aquele amigo ocultozinho de final de ano que por mais que se tente, é impossível deixar de participar. Então para facilitar a vida de quem não tem como fugir dos costumes natalinos, o VitrolaNews dá uma de paizão e ajuda na escolha do presente do amigo oculto.

E como a nossa praia é música, uma boa pedida é o livro “1001 discos para ouvir antes de morrer”, de Robert Dimery e Michael Lydon. Nesta obra 90 jornalistas e críticos de música internacionalmente reconhecidos apresentam uma rica seleção dos álbuns mais inesquecíveis de todos os tempos.

Abrangendo desde as origens do rock ’n roll nos anos 50 aos mais recentes sucessos, o livro vai guiar você por diferentes tendências sonoras e mostrar o poder da música de representar as aspirações e os sentimentos de toda uma geração.

Embora grande parte do livro seja dedicada ao rock e ao pop, há também dezenas de boas indicações de jazz, blues, punk, heavy metal, disco, soul, hip-hop, música experimental, world music, dance e muitos outros estilos. Cada álbum citado é contextualizado historicamente e os comentários sobre as músicas são acompanhados de curiosidades sobre as gravações, os bastidores ou a vida dos artistas.

Apesar de não ser uma bíblia da música mundial e de, inevitavelmente, deixar de fora um ou outro daqueles discos que você não deixa de ouvir por nada nesse mundo, em “1001 discos para ouvir antes de morrer” o leitor tem ainda várias imagens clássicas que sem dúvida valem a pena ser conferidas. E, se por acaso o livro deixar de fora muitos dos seus discos preferidos, pense que ao menos você vai conhecer outros que podem acabar conquistando espaço na lista vip da sua discografia.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Pitty faz o último show do ano já em ritmo de férias

Há exatamente um ano e meio, Pitty levava ao palco do Citibank Hall (SP) um resumo dos cinco anos mais recentes de sua carreira. Esse foi o repertório para a gravação de seu primeiro DVD Ao Vivo. Nestes cinco dos seus dez anos de rock, Pitty lançou dois discos que, somados, venderam mais de 500 mil cópias, levaram onze prêmios VMB, seis prêmios Multishow e turnês que foram do Oiapoque ao Chuí, de Lisboa a Nagoya.

O show transformado no DVD {Des}Concerto Ao Vivo resumiu esse longo percurso – foi uma maneira de mostrar como as músicas tomaram forma em relação ao registro dos discos, uma forma de presentear os fãs que não tiveram a oportunidade de vê-las ao vivo.

Durante o ano de 2008 a turnê {Des}Concerto passou por todas as regiões do país e completou cem apresentações este mês, fechando mais um ciclo com chave de ouro em um dos palcos preferidos da banda: o Circo Voador. O público carioca terá a última chance de ver, neste sábado, dia 20, o show que foi escolhido o Melhor do Ano no VMB 2008.

No repertório versões azeitadas de “Admirável chip novo”, “Máscara”, “Anacrônico”, “Equalize” e as mais novas “Pulsos” e “Malditos cromossomos” estão garantidas, além de outras surpresas. ”Mudaram algumas coisinhas, está sempre mudando, na real. Claro que tem ali o set list básico, mas sempre são inseridas/retiradas duas ou três músicas. Essas mudanças têm a ver com a vibe do dia, se a gente está enjoado de tocar alguma música, trocamos por outra, e por aí vai; fora o jeito de tocar, que é naturalmente modificado pelo tempo de estrada”, avisa Pitty.

Os planos para depois do dia 20 são bem simples: férias, descanso, ócio criativo e preparação para entrar em estúdio no início de 2009 - com composições inéditas. Apesar do show ser o último do ano, com certeza a cantora e sua competente banda não irão brincar no palco. Então, é melhor aproveitar essa última oportunidade em 2008, e conferir.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A volta dos que não foram: João Penca e seus Miquinhos Amestrados gravam primeiro DVD

Nesta quinta-feira, dia 18 de dezembro, a banda mais irreverente do rock nacional (pelo menos é assim que está no anúncio oficial) João Penca e seus Miquinhos Amestrados, grava seu primeiro DVD, no palco do Circo Voador, a partir das 21h.

O show vai contar com as participações especialíssimas do cantor e compositor Leo Jaime e do ator/cantor Eduardo Dussek. O grupo sobe ao palco da lona da Lapa para imortalizar, ao vivo, os sucessos da década de 80, como "Popstar”, "Lágrimas de Crocodilo", “Papa Uma”, “Matine no Rian” e "Romance em Alto Mar”, além do mais novo hit “Sol, Som, Surf e Sal” – música que faz parte da trilha sonora da novela Três Irmãs (TV Globo).

O trio formado por Bob Galo, Big Abreu e Avellar Love marcaram uma geração de admiradores com suas performances teatrais. Os músicos que acompanham o trio são Dódo Ferreira (baixo), Ricardo Palmeira (guitarra) e Sergio Melo (bateria).

Para quem curte muito os anos 80 e não deixa o saudosismo de lado, é uma boa opção. Para quem quiser arriscar, boa sorte!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Natiruts está entre as atrações principais do Festival de Verão Salvador 2009

Os brasilienses do Natiruts estão com a corda toda. Eles acabam de conquistar uma vaga no concorrido palco principal do Festival de Verão Salvador 2009 e irão tocar ao lado de artistas como Ana Carolina, O Rappa e Ivete Sangalo.

Para honrar o compromisso, eles apresentarão uma grande novidade: a música "Raçaman", que já nas paradas de rádio de todo o País. "Raçaman" também é o nome do álbum novo que Alexandre Carlo, Juninho e Luis Mauricio lançam em março de 2009.

A banda Natiruts se apresenta no dia 30 de janeiro, sexta-feira, terceiro dia do Festival de Verão, que acontece de 28 a 31 de janeiro no Parque de Exposições da capital baiana. No repertório, além da música nova, clássicos da banda como "Presente de um Beija-Flor", "Liberdade pra Dentro da Cabeça", "Surfista do Lago Paranoá", "O Carcará e a Rosa" e a música que colocou a banda novamente nas paradas de sucesso, "Natiruts Reggae Power".

Fonte: IG Música

domingo, 14 de dezembro de 2008

2009 vai bombar de shows internacionais

O ano de 2008 nem se foi ainda, mas já é bom começar a preparar o bolso para a agenda de shows internacionais em 2009. São muitos os gringos que já confirmaram passagem pelo Brasil.

Entre as atrações mais esperadas, sem dúvida Radiohead e Iron Maiden lideram a lista. O quinteto inglês, liderado por Thom Yorke, vem ao Brasil pela primeira vez. O grupo alcançou a fama no início dos anos 90 com seu rock melancólico e hits como “Creep”, mas manteve ao longo da carreira o estilo experimental - no fim de 2007, o disco "In Rainbows" foi colocado para download na internet, no esquema “pague o quanto quiser”.

Outra imperdível atração inglesa é Elton John, que traz para a América Latina a turnê do álbum Rocket Man - The Definitive Hits. Prato cheio para os fãs, já que as duas horas de show serão recheadas com os maiores sucessos dos seus 40 anos de carreira. Quem abre os shows é James Blunt, popularizado pelo sucesso do single “You’re Beautiful”. Além da responsa de abrir o concerto de Sir Elton, Blunt ainda confirmou duas apresentações solo, em São Paulo e em Porto Alegre, para divulgar o seu disco All the Lost Souls, de 2007.

Também da Inglaterra, o Keane retorna ao Brasil levando o seu rock fofinho para São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O grupo, que veio ao País pela primeira vez em 2007, vem divulgar o seu novo trabalho, “Perfect Symmetry".

Saindo da Europa para as Américas: quem também marca presença no Brasil em 2009 são os cubanos do Orishas (foto) e a canadense Alanis Morissette. O Orishas traz a sua mistura de hip hop e elementos latinos para São Paulo, para divulgação do ábum “Cosita Buena”, lançado em 2008. Já Alanis apresenta as músicas de “Flavors of entanglement”, também de 2008, e relembra sucessos como “Ironic”, “You learn” e “Head over feet”.

Os norte-americanos do The Doors – ou melhor, do Riders on the Storm - também vêm para uma única apresentação. O grupo é formado pelos remanescentes do The Doors original, Ray Manzarek (teclados) e Robby Krieger ( guitarra), com Brett Scallions (ex-Fuel) nos vocais.

Entre outras atrações já confirmadas, estão Blaze Bayley, ex-vocalista do Iron Maiden, Simply Red, Backstreet Boys e Iron Maiden. Merece destaque também o Wacken, festival alemão de heavy metal que completa 20 anos de existência e que pela primeira vez terá uma edição fora da Alemanha. A lista de bandas que tocarão no evento ainda não foi divulgada, mas o festival deve acontecer em São Paulo.

Programe-se e comece a economizar o seu dinheirinho!
Fonte: MSN

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Piada do Ano: Lobão defende gravadoras e chama crítica de moralista

Lembram de um famoso comercial que dizia: "Parece mas não é!". A frase acima é exatamente isso. Parece piada, mas não é. O cantor Lobão afirmou nesta terça-feira que parte das críticas dirigidas à gravadoras são moralistas. "Se a gente se alija, o Calypso vai lá e toca", afirmou o cantor. "O Calipso também é cultura", emendou Lobão.

As afirmações divulgadas pela Folha Online ocorreram durante o debate "Cultura e Consumo", que começou nesta terça-feira no auditório do Masp, em São Paulo. A abertura do evento, que é parte das ações pelos 50 anos do caderno Ilustrada, foi feita por Alcino Leite Neto, ex-editor da Ilustrada e do caderno Mais! e atual editor de Moda.

Além do escritor, participam da mesa o psicanalista Contardo Calligaris, o cineasta José Padilha e o escritor Cristóvão Tezza. "Sempre fui fã de selos. Eu torcia como se fosse time de futebol", disse Lobão, que ainda mencionou a cultuada gravadora Motown. "A Motown era dirigida por um tirano, que obrigava os artistas a gravar músicas que hoje são clássicas", afirmou o cantor, antes de terminar sua participação. Lobão deixou o evento mais cedo, pois necessitava pegar um vôo para Santa Catarina.

Idolatrado por muitos e odiado pelo dobro, o que mais chama a atenção é que o cantor passou anos da sua carreira brigando e rompendo contratos com gravadoras. Sua indignação foi tão grande que o cantor tornou-se um dos pioneiros na defesa pela carreira indepedente. Atacando gravadoras e provando que os CDs podem ser muito mais baratos do que são vendidos, começou a vernder os seus CDs numerados, em bancas de jornais.

Hoje a situação é outra, depois de ficar esquecido e entregue ao ostracismo, Lobão voltou a fazer parte do seleto grupo de artistas que estão em uma gravadora.Não há nenhum erro na mudança de opinião e ponto de vista. Mas a grande pergunta é: Se depois de brigar com gravadoras, chutar o balde e, literalmente, jogar lenha na fogueira da indústria fonográfica, será que o cantor ainda defenderia a causa das gravadoras, se não fizesse parte de uma delas hoje? A verdade é que o cantor, pseudo-apresentador de TV, mais uma vez cai em suas grandes contradições.

Dificil mesmo dar crédito e levar a sério aquilo que Lobão diz. a sério. Sinceramente, mais uma das tantas piadas. Com o perdão do clichê, mas como diria o Capitão Nascimento, aquele mesmo do filme Tropa de Elite, "é um fanfarrão!!!".

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Dead Fish completa 18 anos de estrada e lança o sexto CD da carreira

Prestes a lançar o sexto disco da carreira, a banda capixaba Dead Fish conseguiu se consolidar não apenas no cenário underground. Com seu hardcore melódico, a banda já está há quase 18 anos na estrada. Em meio às mudanças da cena musical, novas tecnologias e crise na indústria fonográfica, o grupo prova que ainda é possível viver de música e fazer aquilo que se gosta. Vivendo atualmente em São Paulo e envolvido com o processo de finalização do sexto álbum da carreira, o baixista Alyand Mielle (primeiro da esquerda para a direita na foto) bateu um papo com o VitrolaNews. Ele falou sobre o rock nacional, novas tendências, shows e, de quebra, antecipou o que os fãs podem esperar do novo disco do Dead Fish. Confira:

VitrolaNews - Bem, a banda saiu do ES, um estado não muito famoso como exportador de bandas, e ganhou destaque não só no underground nacional. Como foi essa transição? Existe uma cena forte no Espírito Santo?
Alyand Mielle
- O ES sempre teve bandas muito boas e sempre teve várias cenas musicais interligadas, já que se trata de um lugar pequeno e as cenas são bem pequenas também, mas sempre muito ativas. Sempre achei que o grande problema foi as pessoas de lá nunca darem muito valor ao que é de casa, em raros momentos vi as pessoas dando valor a um cenário embrionário ou algo legal que estava virando. Normalmente quem dava valor eram caras com senso de heroísmo absurdo indo contra tudo e todos e fazendo virar graças aos seus esforços. Isso funciona durante um tempo até, mas depois passa a virar murro em ponta de faca e nego cansa. Hoje estou bastante afastado das coisas que rolam por lá, mas tenho certeza de que ainda existe um monte de gente produzindo e fazendo coisas lá dentro que nego não dá a mínima.

VN- Ao todo já são quase 18 anos de estrada? O que mudou na forma da banda encarar e fazer música depois de tanto tempo na estrada?
AM - A gente ficou mais velho, a música se tornou nossa profissão, isso tem um peso um pouco maior quando se está numa banda que vive dela mesma. Mas foi isso que tínhamos como objetivo e nos sentimos muito privilegiados. No entanto isso tem implicações como sermos mais rígidos na nossa parte técnica e sermos mais críticos com tudo que produzimos.

VN - O fenômeno “Emo-core” tomou a cena agora nos anos 2000. Essa nova tendência de alguma forma prejudicou o trabalho de bandas que ainda não se renderam ao estilo?
AM - O problema não foi o estilo, não acho o fenômeno a coisa mais diabólica do mundo como dizem por aí, acho que o grande problema foi a mentalidade de "sucesso" que estes guris têm. A coisa passou a ser música pela música pra vender e investir, daí veio um monte de distorções que sempre achei ridículas vindo de onde vim como vender ingresso pra tocar, pagar pra tocar e fazer um monte de gente bastante oportunista se infiltrar num meio que já é bastante complicado. No geral, continuamos a fazer nosso trampo do nosso jeito, nunca tivemos grandes objetivos além de vivermos do que tocamos, e sabíamos muito bem que se tínhamos personalidade teríamos que pagar um preço por tudo isso.

VN - Nos anos 80, o rock nacional tinha uma outra cara que fez história e até hoje é lembrado. Como vocês avaliam o presente do rock brasileiro?
AM - Eu gosto, mas eu moro em SP, aqui tem milhões de vertentes independentes, milhões de bandas e vários lugares pra tocar. Talvez se morasse no ES teria a impressão de que a coisa vai mal das pernas, mas aqui eu posso ver show de segunda a segunda passando de HC até Dub, portanto tenho uma visão meio diferente.

VN - Outro fenômeno dos anos 2000 são as novas ferramentas para divulgação da música, que surgiram com a internet (blogs, sites, comunidades virtuais). Como vocês vêem a expansão dessas formas alternativas?
AM - Usamos todas elas do nosso jeito sem muita neurose. Acho todas boas pra divulgação direta, mas acho que tudo que esta aí na net acaba se tornando bem mais descartável do que no meu tempo das cartas. Naquele tempo dávamos mais valor pra ver a banda ao vivo, ler o encarte do cd e estas coisas.

VN - Falando sobre o novo disco, o que mudou na forma de compor? Fale um pouco sobre o processo de produção, mixagem, participações, efeitos, busca por novos timbres...O que os fãs podem esperar desse novo trabalho?
AM - Este é o nosso 6º CD cheio, o resto são coisas ao vivo, EP e coletâneas. Neste trabalho buscamos ser o mais simples possível, usar tudo que temos e vivemos nos últimos anos. O CD vai sair simples e com uma cara de anos 90 ao meu ver, letras mais diretas e música mais rápida. O Phil conseguiu achar muitos timbres mais crus na produção deste CD. Eu gosto bastante da forma que ele deu pras guitarras com mais timbre e menos distorção, acho que sempre quis que fosse assim e agora achamos. As pessoas podem esperar um CD de hardcore melódico ao estilo Dead Fish.

VN - Por fim, o Brasil definitivamente retornou à rota dos grandes shows internacionais, esse ano passaram por aqui grandes nomes do pop, hardcore, metal...e o Dead Fish inclusive já abriu para algumas dessas bandas. A agenda de vocês permite acompanhar esses shows como expectador/fã? Tem alguma banda que vocês gostariam muito de tocar juntos, ou sempre tiveram vontade e já tocaram?
AM - Já tocamos com a maioria das bandas que gostaríamos e isso foi legal demais, algumas destas bandas acabaram se tornando grandes amigas da gente e temos contato até hoje. Neste ano de 2008 nem fui a muitos shows, não tenho carteirinha e os ingressos por aqui ficaram muito, muito caros, o que me impediu de ir ver várias bandas que gostaria. Os shows que vi foram muito bons, como o do Bad Brains que me fez ganhar o ano. Hoje eu gostaria de tocar com uma banda que gosto muito desde sempre que se chama Ataque 77, da Argentina. Estamos tentando fazer algo juntos.

Rage Against The Machine não tem previsão de lançar novo disco

Depois de se reunir em 2007 para uma extensa série de shows, o Rage Against The Machine não planeja gravar um disco de inéditas. Segundo a Revista Guitar Player o guitarrista Tom Morello, declarou que a falta de tempo o impede de qualquer outro tipo de projeto além de sua atual banda, a Nightwatchman.

O guitarrista chegou a declarar ao site Billboard.com: “Não temos planos disso [gravar disco de estúdio]. Tivemos um ano e meio maravilhoso de shows e não vejo motivos para não fazermos mais alguns. O problema é que o dia tem apenas algumas horas e as minhas estão muito ocupadas”.

O Rage Against The Machine se separou em 2000, mesmo ano em que lançou seu último trabalho de estúdio, ‘Renegades’.
*com informações da Revista Guitar Player

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Última semana de inscrições para a edição nacional do 8º Festival Coletânea de Bandas

O Festival Coletânea de Bandas acontece há oito anos consecutivos, e desde a sétima edição ganhou fôlego nacional. Com palcos no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Brasília o Festival já reuniu bandas de oito estados brasileiros (Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo) em shows ao vivo.

As bandas vencedoras de cada estado gravam o CD Coletânea de Bandas, ao vivo no Hard Rock Cafe (RJ). Mais de 700 bandas já passaram pelo festival em eliminatórias realizadas por mais de 15 casas de shows.

Os interessados em participar da 8ª edição do Festival Coletânea de Bandas podem fazer suas inscrições de 07 de novembro à 12 de dezembro de 2008 pelo site http://www.coletaneadebandas.com/ .

O que rola no Rock Brasil atualmente

Com o objetivo de gerar oportunidades para divulgação de novas bandas; incentivar a criação e realização de shows; fomentar o mercado cultural e integrar músicos de vários estados do Brasil, o Festival Coletânea de Bandas acontece pelo oitavo ano consecutivo e mostra nos palcos, o que acontece no mercado independente. Idealizado e produzido pelo publicitário Anderson Rocha, (Onix Marketing e Cultura), o festival recebe inscrições de bandas de todo o Brasil para sua 8ª edição.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Venda de ingressos para Radiohead começa nesta quinta-feira

Começa à meia-noite desta quinta-feira (04/12) a venda dos ingressos para os shows da banda britânica Radiohead no Brasil.

Para facilitar a vida dos fãs, as entradas poderão ser compradas através do site Ingresso.com na virada desta quinta para sexta, ou nas bilheterias do Estádio Pacaembu, em São Paulo, e do ginásio Maracanãzinho, no Rio, a partir das 9h da sexta.
Diferente de outras atrações internacionais, os ingressos para as shows do Radiohead no Brasil terão um valor único. Custarão R$ 200 (R$ 100 a meia-entrada para estudante), e a compra está limitada a quatro ingressos por pessoa e os pontos de venda aceitarão apenas pagamento em dinheiro.

Esta é a primeira vez que a banda de Thom Yorke vem ao Brasil e eles chegam por aqui com a turnê do álbum In Rainbows, lançado no final de 2007. As duas apresentações da banda no país serão realizadas dia 20 de março na Praça da Apoteose (Rio de Janeiro) e dia 22 na Chácara do Jóquei (São Paulo).

Os shows farão parte do festival chamado Just a Fest, que deve trazer mais uma atração internacional e bandas nacionais ainda não anunciadas.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Novas do McCartney no myspace

O ex-beatle Paul McCartney lançou “Electric arguments”, terceiro disco da parceria com o produtor Youth, na qual a dupla usa o pseudônimo The Fireman. Os discos anteriores, “Strawberries oceans ships forest” e “Rushes”, foram lançados em 1993 e 1998. No primeiro, os músicos se apresentaram incógnitos, até que a imprensa revelou a identidade do duo, formado por Sir Paul e Martin “Youth” Glover.

Ex-baixista da Killing Joke, Youth, de 47 anos, é produtor artístico e trabalhou, entre outros, no célebre álbum “Urban hymns”, do The Verve (1997). Inicialmente, The Fireman era um projeto experimental, e seus dois primeiros discos reuniam músicas eletrônicas instrumentais.

Apesar da utilização de efeitos sonoros incomuns, o adjetivo “experimental” não chega a se aplicar no caso de “Electric arguments”, já que a dupla retorna, dez anos após sua última aparição, a um formato tradicional de canções. McCartney, de 66 anos, até canta em algumas delas. E o que se ouve leva a marca inconfundível da qualidade melódica do ex-Beatle. Cada uma das 13 faixas foi escrita e gravada em um dia, ao longo de um ano.

O disco está disponível para audição no myspace e também no site oficial do The Fireman (com direito a galerias de imagens).
Matéria da Agência France Press

domingo, 30 de novembro de 2008

Queen Forever

Garotões, coroas, homens e mulheres. Independente da idade, sexo e credo, todos saíram de alma lavada da Arena HSBC, no Rio, na madrugada deste domingo. De volta à cidade depois de 23 anos, quando fizeram a antológica apresentação no primeiro Rock in Rio, a banda Queen retornou ao Rio, dessa vez com o vocalista Paul Rodgers. E fecharam em grande estilo a turnê pelo Brasil.


O reencontro do grupo e o lançamento do primeiro disco sem Freddie Mercury, "The Cosmos Rocks", serviu para mostrar aos mais jovens que grandes bandas não são feitas do dia para a noite e, principalmente, que Brian May e Roger Taylor, remanescentes da formação original do Queen, estão ainda melhores.


Quando o show começou, às 22h30, a Arena já estava praticamente lotada. Após uma introdução instrumental, criando um suspense do que viria pela frente. "Hammer to Fall" abriu o espetáculo. E que espetáculo! Com a mesma estrutura de som e luz que saiu da Europa para viajar o mundo, seis holofotes projetavam fachos de luz que iluminavam a arena e deixava o público boquiaberto. Destaque, ainda, para um supertelão, com qualidade digna de um grande show internacional, sem desmerecer os artistas nacionais.


Durante o show não faltaram clássicos e hits de toda a trajetória do Queen, como “I Want To Break Free”, “A Kind Of Magic”, “Under Pressure”,“Radio Ga Ga”, além de música novas e do vocalista Paul Rodgers. O ex-vocalista Freddie Mercury esteve presente não só em espírito. Citado por Brian May em diferentes momentos do show, Freddie também participou do show. Graças à tecnologia, cantou parte de "Bohemian Rhapsody" e "Bijou".


Após quase três horas de show, outros três clássicos "We Will Rock You", "We are the Champions" e "God Save the Queen" já deixavam o público cariocas com saudades, mas com a certeza de que levariam para casa mais uma noite memorável. Afinal, o Queen continua muito vivo!!!

sábado, 29 de novembro de 2008

Mundo Livre S/A fecha festival El Mapa de Todos

O festival El Mapa de Todos chega ao fim neste sábado (29), com mais shows de expoentes da música independente sul-americana. A principal atração deste último dia, no entanto, é brasileira: a banda pernambucana Mundo Livre S/A.
A programação tem início com o show da banda Instiga, de Campinas. O grupo, junto com o Facas Voadoras, que se apresentou ontem, foi selecionado através de um concurso promovido pelo iG Música. Ainda há dois artistas da América Latina. Da argentina, vem o grupo La Quimera del Tango. Do Chile, a cantora Javiera Mena traz seu folk com toques eletrônicos.

A escalação deste sábado é completada pela banda espanhola Sr. Chinarro. O grupo tem mais de 15 anos de estrada e tem um som influenciado por New Order e Depeche Mode.
Ainda há ingressos para último dia do festival. É possível comprar nas bilheterias do Espaço Brasil Telecom, ou pelo site http://www.ingressos.com/. As entradas custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Além dos shows, o El Mapa de Todos tem uma extensa programação de debates e oficinas. Veja abaixo a programação deste sábado:

Sábado - 29/11
Instiga - Campinas (palco foyer)
La Quimera del Tango - Argentina (palco teatro)
Javiera Mena - Chile (palco foyer)
Sr. Chinarro - Espanha (palco teatro)
Mundo Livre S/A - Recife (palco foyer)

Fonte: IG Música

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Iron cumpre promessa e retorna ao Brasil em 2009

Quem foi a algum dos shows do Iron Maiden no Brasil, esse ano, presenciou não só a melhor performance do heavy metal mundial. Os fãs do Iron testemunharam também um promessa: de que a banda retornaria ao país já em 2009, antes de encerrar a turnê 'Somewhere Back in Time'.
E como promessa é dívida, não demorou muito e Bruce Dickinson, Steve Harris e companhia acabam de anunciar que a banda retornará ao Brasil no ano que vem, dessa vez indo além do eixo Rio-SP e tocando também em outras capitais.

Os shows serão todos no mês de março, e dessa vez a banda passará por Manaus (Sambódromo - Dia 12),Rio de Janeiro (Praça da Apoteose - 14), São Paulo (Autódromo de Interlagos - Dia 15), Recife (Estádio Municipal - Dia 18) e Brasília (Camping Show - 20). Essa será a primeira vez que a Donzela de Ferro vai tocar no Nordeste e na Capital do País, além de Manaus.

Empolgado, Steve Harris deixou o seguinte recado para os fãs brasileiros através da assessoria de imprensa da banda: "Não é segredo que amamos tocar no Brasil. Quando olhamos e vimos que havia a oportunidade de voltarmos nesta etapa final para tocar em lugares onde não tínhamos estado e rever nossos mais entusiasmados fãs, não tivemos nenhuma dúvida. Queríamos muito tocar em lugares como Manaus, Brasília e Recife, além de poder estar novamente no Rio de Janeiro depois de mais de 5 anos. Também adoramos termos sido convidados para tocar em Interlagos. Tenho certeza de que será um show memorável”.

O baixista completa seu recado informando que dessa vez o Iron Maiden trará toda a estrutura de palco utilizada na turnê. “Como será um enorme concerto após termos estado em São Paulo no início deste ano, achamos que seria a ocasião especial para trazermos de avião o show completo, exatamente como nossos fãs na Europa e Estados Unidos viram. Será preciso um avião à parte para podermos colocar todo o equipamento, além de Eddie, hienas, gatos, muitos panos de fundo diferentes, além do próprio demônio e toneladas de pirotecnias!”, concluiu.

Os ingressos para ao show em São Paulo estarão à venda a partir de 00h00 do dia 2 de dezembro pelo site http://www.livepass.com.br. Para as apresentações nas outras cidades, o anúncio do início das vendas será feito posteriormente. Os preços são: Pista Premium: R$ 350; Pista: R$ 140; Meia entrada restrita a 30% da lotação.

Então é começar a preparar o bolso, que com certeza vai valer muito a pena. UP THE IRONS!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Radiohead terá shows a preço único

Agora é mais do que para valer, os fãs do Radiohead já tem, além das datas confirmadas no Brasil, o dia certo para garantir os ingressos. As entradas para os shows da banda inglesa no Brasil terão um único valor: R$ 200 (estudantes pagarão meia-entrada).

No Brasil, a banda vai passar por Rio, no dia 20 de março na Praça da Apoteose, e São Paulo, dia 22 de março, na Chácara do Jóquei. Antes de chegar por aqui, Thom Yorke (vocais, guitarra, piano), Jonny Greenwood (guitarra), Ed O'Brien (guitarra), Colin Greenwood (baixo, sintetizador) e Phil Selway (bateria, percussão) se apresentam na Cidade do México (15 e 16 de março). Da capital paulista a banda vai para Santiago, no Chile, onde tocará nos dias 26 e 27.

Os shows fazem parte da turnê "In rainbows", e sem dúvida é um dos mais esperados pelos fãs brasileiros. A venda de ingressos começa a 0h do dia 5 de dezembro pelo site http://www.ingresso.com/ e pontos de venda. Serão disponibilizados 35 mil ingressos para Rio de Janeiro e 30 mil ingressos para São Paulo.

Recentemente o Radiohead revolucionou o mercado fonográfico colocando o disco que dá nome à turne à venda na internet por um preço estipulado pelo comprador.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Mesmo sem Freddie Mercury, Queen é sempre Queen

A banda que reuniu mais de 300 mil pessoas por show e rodou quase o mundo todo em turnês, fez o segundo disco mais vendido de todos os tempos no Reino Unido, o Greatest Hits II (atrás somente dos Beatles) e carrega até hoje uma legião de fãs e hits mortais: We are the Champions, We Will Rock You, Love of my Life, Radio Ga Ga, A Kind of Magic e Bohemian Rhapsod.

Vinte e três anos depois do memorável show no primeiro Rock in Rio, o Queen retorna ao Brasil e traz o seu novo vocalista Paul Rodgers. Este é o primeiro disco do grupo em 13 anos e o primeiro sem Freddie Mercury. O destaque vai para a música Say It’s Not True, que foi lançada para angariar fundos destinados a pesquisas contra a AIDS para uma campanha de caridade organizada por Nelson Mandela e os clássicos que não poderiam faltar. A última passagem da banda no Brasil foi no Rock in Rio de 1985.

Com seu carisma e talento, o guitarrista Brian May leva não só o nome do Queen nas costas, mas também a paixão pela música que ultrapassa muitas gerações. Sem dúvida May será um show à parte, na apresentação que vai balançar o Rio, no próximo sábado. E se for tão simpático como nos outros países que já passou até agora, com certeza vestirá uma camisa que é a bandeira do Brasil. Pelo menos foi isso que ele fez no show de Santiago no Chile, na última quarta - feira, dia 19 de novembro. O Vitrola estava lá. Realmente indescritível!!!!

Alanis Morissette confirma dois shows no Brasil para início de 2009

Em turnê com o novo disco "Flavors of Entanglement", Alanis Morissette volta ao Brasil para dois shows já no início de 2009.

A cantora canadense já tem data confirmada em Recife e em Florianópolis.No Nordeste, a apresentação será em 30 de janeiro no Chevrolet Hall. No sul, o show está marcado para 7 de fevereiro na Pacha Floripa, localizada na praia de Jurerê Internacional.Segundo a assessoria de imprensa de ambas casas, os preços dos ingressos e o início das vendas serão divulgados em breve.

Atualmente, Alanis está em turnê com o show de "Flavors of Entanglement". Lançado no primeiro semestre deste ano, este é o seu sétimo disco de estúdio e o primeiro de inéditas em quatro anos.

Fonte: UOL

Metallica pode lançar próximo álbum completo em versão online

Depois de se envolver em uma polêmica com a publicação de suas músicas no Napster, em 2000, o Metallica divulgou estar considerando a idéia de lançar seu próximo álbum em uma versão on-line.

O disco será uma produção independente, já que o contrato com a gravadora Warner Music acabou no último CD, “Death Magnetic”. “Estamos sem contrato. Temos esse elemento da liberdade total no próximo álbum, então podemos fazer o que queremos. Podemos fazer algo na internet”, disse o baterista Lars Ulrich.

O último álbum do Metallica, lançado em setembro, figurou como primeiro da lista da Billboard por semanas.
Fonte: CidadeWebRock

sábado, 15 de novembro de 2008

Raridade: Álbum branco 0000005 está a venda na internet

Uma das primeiras cópias do "Álbum Branco" dos Beatles foi colocada à venda no site de leilões eBay, segundo nota publicada no site do semanário britânico "New Musical Express".

A prensagem original do disco, cujo lançamento completa 40 anos no dia 22 de novembro, recebeu números de série individuais impressos na capa em alto-relevo, conforme a ordem de fabricação. As primeiras quatro cópias foram dadas aos quatro integrantes da banda e nunca estiveram disponíveis no mercado de discos raros.

A cópia, oferecida no ebay por um vendedor localizado na Áustria, é a de número 0000005 --a primeira a ser fabricada após as que foram presenteadas aos Beatles - e conquistou o primeiro posto numa matéria da revista inglesa Record Collector que elegeu os 200 discos mais raros de todos os tempos.

Composto basicamente durante o retiro dos Beatles na Índia, o Álbum Branco, como ficou mais conhecido, levou quase 8 meses de trabalho de estúdio. E considerado o disco mais diversificado da banda e foi também o primeiro indício que o grupo estava se separando. A constante presença de Yoko e os primeiros problemas com a Apple fizeram deste um disco tenso, Ringo chegou a abandonar o grupo, mas retornou uma semana depois.

São 30 músicas dispostas em 2 LPs, numa coletânea de vários estilos musicais como Rock'n'Roll, Blues, Reggae, Soul, Country, Pop e mesmo uma colagem avant-garde. 'THE BEATLES' é também o adeus a fase psicodélica da banda e um prelúdio do que seria a música Pop do início dos anos 70. A própria capa, totalmente branca é exatamente o oposto do último disco 'Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band'.

Lançado em Novembro de 1968, o álbum alcançou o 1º lugar no dia 27 do mesmo mês, sendo o 1º disco duplo a alcançar tal posto e ser o disco duplo de maior vendagem da história ( apesar de ter sido batido em 1977 pela trilha de 'Saturday Night Fever' ). Em 1998, uma versão do CD, com capa dupla contendo o poster e as fotos originais foi lançada para comemorar o aniversãrio de 30 anos do álbum.

Até o momento, o lance mais alto oferecido pelo disco é de 1.070 libras (cerca de R$ 3.586). Quem quiser fazer um palpite ainda tem tempo.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Depois do "apagão", vocalista do Nightwish desculpa-se com fãs mineiros

Depois da sair do palco e deixar os fãs de Belo Horizonte a ver navios, no último dia 10 de novembro, a vocalista do Nightwish, Anette Olzon, explicou em nota oficial o motivo de ter abandonado o palco após apenas 30 minutos de show.

Segundo a cantora a fumaça no palco estava irritando suas cordas vocais, e ao perceber que sua voz estava se esvaindo, deixou o palco desesperada. A banda ainda tentou ganhar algum tempo para que ela voltasse, mas Anette já não conseguia mais cantar. Em nota a cantora pede desculpas e diz estar desapontada por ter decepcionado os fãs brasileiros, tão especiais para a banda.

O Nightwish segue sua turnê pela América do Sul normalmente, e ainda irá passar por Manaus, Fortaleza, Recife, Vila Velha e Rio de Janeiro.

Confira o comunicado na íntegra:

“Desde que ingressei no Nightwish, estava ciente da responsabilidade que isso representava e os obstáculos que teria que enfrentar. Sempre procurei fazer o melhor possível para estar à altura da confiança que depositaram em mim. Ser vocalista é, por si só, um trabalho que exige muito de quem o faz. Mas ser vocalista do Nightwish, encerra uma complexidade ainda maior - em função do alto nível técnico do grupo, mas também pela própria história da banda, que no momento que entrei, poderia ser considerado um dos melhores da sua carreira.

Apesar de ser uma situação honrosa, quando você entra em uma banda no auge do seu sucesso, a relação com o público pode ser bastante delicada e é difícil não ser tomado por um sentimento de não querer decepcionar. Por isso, nada do que eu diga agora poderá exprimir, de fato, o meu pesar e frustração em não ter conseguido concluir nosso show em BH.

No palco, o excesso de fumaça estava irritando as minhas cordas vocais e quando minha voz deu indício de que estava se esvaindo, acabei me desesperando e tive que sair do palco. A banda tentou ganhar algum tempo para que eu me recompusesse, mas não havia como retornar, pois não conseguia mais cantar. Eu mesma não entendi porque minha voz desapareceu.

Creio que tenha sido um surto de fundo emocional devido a preocupação de não querer decepcionar naquele momento, pois todos nós planejávamos fechar a turnê do Dark Passion Play com chave de ouro aqui na América do Sul. Além disso, os rapazes da banda sempre tiveram uma relação especial com o Brasil e sempre descreveram o público brasileiro como o mais entusiasmado e receptivo do mundo.

Gostaria de pedir desculpas, de todo o coração, à todos que estiveram no show de Belo Horizonte e dizer que, de maneira alguma, foi descaso de minha parte e que o meu desapontamento é maior ainda por ter decepcionado fãs brasileiros, que são tão caros à banda. Espero que vocês possam me dar uma nova oportunidade para concluir aquilo que, dessa vez, não consegui fazer da maneira que gostaria de ter feito, mas que é a grande paixão da minha vida: cantar!”.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Vem aí o 1º Festival Na Rota do Rock Brasília


Os sites Na Rota do Rock (http://www.narotadorock.com/) e Rock Brasília (http://www.rockbrasilia.com.br/) se juntaram ao programa Cult 22 (http://www.cult22.com/), da Rádio Cultura FM (100,9MHz), para organizar um evento no mínimo ousado, que mistura, a cada noite, estilos e gerações diversas do rock candango.


Uma idéia arriscada, mas que lança um desafio às bandas e ao público: nasce o 1º Festival Na Rota do Rock Brasília, que rolará de 3 a 6 de dezembro de 2008 (quarta-feira a sábado), em quatro points diferentes do Distrito Federal: UK Brasil Pub (411 Sul), Blues Pub (QS 3, Pistão Sul de Taguatinga), Blackout Bar (904 Sul, dentro do Clube da Asceb) e Gate´s Pub (403 Sul).


Parece conta de mentiroso, mas serão 19 atrações - entre elas, a volta do Cabeloduro para um show especial de encerramento do festival. Outras bandas superveteranas como Detrito Federal e Bois de Gerião dividirão palco com nomes bem mais novos como The Pro e Alcoopop.


Numa mesma noite, e num mesmo palco, estarão tocando Watson e Galinha Preta, Pelicanos da Lua e Quebraqueixo, Superquadra e Terror Revolucionário, Rafael Cury e Etno, Bruto e Gilbertos Come Bacon, e assim por diante. Indie com metal, hardcore com pop/rock, punk com blues… Pode até parecer um 'risco comercial' para os produtores, mas, na pior das hipóteses, a experiência servirá de laboratório para estudar como públicos tão diferentes se comportam no mesmo recinto.


A 'geografia' do rock de Brasília também será mixada. Bandas de satélites - Alcoopop (Brazlândia), Gilbertos Come Bacon (Planaltina/Sobradinho), Terror Revolucionário (Taguatinga/Ceilândia), Galinha Preta (Taguatinga/Ceilândia), Bruto (Gama), Macakongs 2099 (Guará) e o próprio Cabeloduro (Guará) - serão levadas para pubs e bares do Plano Piloto onde nunca (ou quase nunca) tocaram antes. E também rolará o caminho inverso, com Bois de Gerião e Pelicanos da Lua se apresentando em Taguatinga.


O hotsite do festival (http://www.narotado.rockbrasilia.com.br/) está entrando no ar e em breve contará com biografias, fotos, mp3, entrevistas e reviews de CDs e/ou demos lançadas pelas 19 bandas participantes.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Ingressos Esgotados para o Festival Planeta Terra

A organização do Festival Planeta Terra informou nesta quinta-feira, 30, que os ingressos para a segunda edição do evento estão esgotados.

Mais uma vez com sede na Vila Dos Galpões, em São Paulo, o festival organizado pelo portal da internet terá como principais atrações Kaiser Chiefs, Jesus and Mary Chain e Bloc Party (foto). As vendas já estavam abertas desde o começo do mês, com ingressos custando R$ 130.

O DJ Calvin Harris, uma das atrações do DJ Stage, cancelou nesta semana a apresentação que faria no festival, e foi substituído oficialmente pelo DJ Justin Robertson.A segunda edição do Planeta Terra acontece em 8 de novembro, em São Paulo.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Carcass, de volta aos palcos, vem pela primeira vez ao Brasil: show para headbanger nenhum colocar defeito!

Criada em 1985, na Inglaterra, o Carcass contava na formação original com Bill Steer (guitarra), Jeff Walker (baixo), Ken Owen (bateria) e Sanjiv (vocal). Um ano depois, Sanjiv (vocal) saiu da banda e não houve mais notícias. Em 1988, o Carcass lançou seu primeiro álbum intitulado Reek of Putrefaction e se consagrou como uma das principais de death metal do mundo.

Depois de um tempo fora da ativa, em 2006 Jeff Walker concedeu entrevistas admitindo a possibilidade de uma reunião do Carcass até 2007. Segundo ele, Michael Amott queria muito a volta da banda, tudo dependeria de uma posição de Bill Steer, uma vez que Ken Owen não participaria, mas não se opôs à idéia de ser substituido por outro baterista.

A partir da reunião entre Michael Ammot, Bill Steer e Jeff Walker, que se juntaram para ensaiar músicas antigas da banda, contando com o baterista do Arch Enemy Daniel Erlandsson no lugar de Ken Owen, o Carcass está de volta com o seu death metal rápido e agressivo. Para os brasileiros, a notícia da volta não poderia ser melhor, já que a turnê que marca a volta da banda aos palcos irá passar por aqui no mês de novembro.

Em sua primeira apresentação no Brasil foram confirmados dois shows. Dia 8 de Novembro em Belo Horizonte, e no dia 9 em São Paulo. Com certeza uma oportunidade para headbanger nenhum botar defeito.

Show Carcass dia 09/11/2008
Local: Santana HallAv. Cruzeiro do Sul, 2737, Santana – SP (Ao Lado do Metro Santana)
Informações: (11) 3628-0635 / www.fotolog.com/budaproducoes
Abertura da casa: 13 hrs, inicio dos shows 14:00
Bandas: CARCASS, Funeratus, Andrals, Flesh Grinders, Exhortation, Pentacrostic
Ingressos: Pista (meia entrada) R$ 60,00, Camarote inferior (meia entrada) R$ 100,00 c/ open bar de cerveja. Meia entrada pode ser comprada apenas com apresentação de RG, porém obrigatório apresentação de carteirinha de estudante ou doação de 1 kg de Alimento no dia do evento.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Iron Maiden volta ao Brasil em 2009

Como Bruce Dickinson prometeu aos fãs brasileiros durante o show em São Paulo, em março deste ano, o Iron Maiden vai voltar ao país exatamente um ano depois, em 2009. Pelo menos é o que a diz Mondo Entretenimento, produtora responsável pela turnê da banda.

De acordo com matéria publicada no Jornal do Brasil, já está na agenda do grupo uma série de shows pelo Brasil em março do ano que vem, apesar das datas e locais ainda não estarem definidos. O Rio de Janeiro, que havia ficado de fora da “Somewhere Back in Time Tour”, seria uma das cidades confirmadas.

O Iron Maiden encerrou a turnê em agosto, depois de passar por Índia, Austrália, Japão, Américas e Europa. No Brasil, foram três apresentações – São Paulo, Curitiba e Porto Alegre –, todas com ingressos esgotados, o que motivou a promessa da banda de voltar.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Led Zeppelin deve cair na estrada sem Robert Plant

O assunto já foi pauta aqui no Vitrola, mas parece que dessa vez é pra valer. A banda de rock britânica Led Zeppelin está cogitando a possibilidade de sair em turnê e gravar um novo disco, sem o vocalista original Robert Plant, que tem resistido à pressões para compor a formação original da banda.

A noticia divulgada pela rede TV britânica BBC aumenta ainda mais os rumores de que Page e companhia devem mesmo voltar à estrada em breve. O grupo já vendeu cerca 300 milhões de álbuns e é considerado uma das bandas de rock mais influentes de todos os tempo. Em dezembro do ano passado a banda fez uma apresentação única, durante um show beneficente em Londres.

Após o show, o guitarrista Jimmy Page e o baixista John Paul Jones se mostraram entusiasmados em voltar para o palco, assim como o baterista Jason Bonham, filho do membro original da banda John Bonham, morto em 1980, após uma luta contra o alcoolismo. No entanto, Plant, que construiu a carreira de maior sucesso entre os membros da banda, sempre se mostrou relutante e no último mês divulgou um comunicado confirmando suas intenções.

Pelo visto essa novela ainda vai ter muitos capítulos, o jeito é sentar e esperar por um final feliz para os fãs.

*com informações da Agência Reuters e rede BBC .

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Vanessa da Mata leva a turnê do disco "Sim" à Fundição Progresso

Autora e intérprete da música mais tocada nas rádios no último mês, “Amado”, Vanessa da Mata fará seu primeiro show solo na Lapa, dia 8 de novembro, sábado, na Fundição Progresso. Apesar dos sucessos dançantes como o hit “Ai, ai, ai ai” e “Boa Sorte – Good Look”, parceria com Ben Harper, esse será o primeiro show da temporada em formato pista, com participação do DJ Deeplick , remixer preferido de Vanessa.

Com sua nova turnê, Vanessa da Mata já passou por mais de noventa cidades do Brasil e exterior, e vem mostrando as canções que fazem parte de seu mais recente disco, lançado em maio de 2007. Para transpor para o palco músicas como “Boa sorte / Good Luck”, “Vermelho” e “Baú”, ela está acompanhada de Davi Moraes (guitarra), André Rodrigues (baixo), Cesinha (bateria), Marco Lobo (percussão), T.Bless ( vocais), Play (vocais) e Donatinho (teclados). O show tem cenário de Hélio Eichbauer e luz de Maneco Quinderé.


Entre algumas músicas do novo disco que ela cantará estão “Vermelho”, “Quando um homem tem uma mangueira no quintal”, “Baú”, “Amado”, “Boa sorte/Good luck” e “Ilegais”. De “Essa boneca tem manual”,“Ai ai ai” (música mais tocada de 2006) , “Joãozinho” e as regravações “Eu sou neguinha" (Caetano Veloso) e "História de uma gata" (Chico Buarque, de "Saltimbancos"). Do primeiro estão “Nossa Canção” e “Não me Deixe só” – sucesso até hoje com remix de Ramilson Maia.


SERVIÇO


Vanessa da Mata – “Sim”
Participação: Dj Deeplick (1 set de 1h após o show da cantora)
Abertura: Sururu na Roda
Encerramento: Suvaco de Cristo
Intervalos: Dj Tati da Vila

Sábado, 8 de novembro
Fundição Progresso - Rua dos Arcos, 24, Lapa - Rio de Janeiro
Tel.: (21) 2220-5070
Site: http://www.fundicaoprogresso.com.br/
E-mail: contato@fundicao.org

sábado, 25 de outubro de 2008

3ª edição do Fundição Reggae Music agita o sábado na Lapa

Acontece neste sábado (25/10), no palco da Fundição Progresso, a 3ª edição do Fundição Reggae Music, com Edu Ribeiro e Maskavo.

Edu Ribeiro acaba de lançar seu novo CD “Luau”. São 16 faixas (incluindo quatro vinhetas), todas compostas pelo cantor - à exceção de "Espere por mim, morena", de Gonzaguinha, música já tocada por outros nomes do reggae brazuca, como a banda brasiliense Natiruts. "Esta é pra quem gosta de sol, praia e céu azul" avisa o cantor na abertura de “Dias de sol”. A advertência, decerto, vale para todas as faixas do álbum, produzido por Ricardo Vidal e pelo próprio músico. Da cadência romântica de “De mais ninguém” (primeira música de trabalho, candidata a suceder o hit “Me namora” nas FMs do país), “Menina”, “Só pra te olhar”, até deslizar pelas ondas de “Ver o mar”, “Princesa do Hawaii”, “Flor D´Liz”, “Descer a serra”, tudo é calor, areia e liberdade. O disco conta aí com as participações especiais do Charlie Brown Jr, Serginho Moah, cantor da banda gaúcha Papas da Língua, Da Gama, ex-guitarrista do Cidade Negra e Prata, guitarrista do Maskavo, que aparece na música “me Faz Tão Bem”.


Já o Maskavo divulga o quinto CD e primeiro DVD da banda, “Transe Acústico”. Neste registro estão 15 músicas, sendo duas inéditas: “É muito melhor” e “Minha moeda”. O álbum conta ainda com a participação do vocalista da banda maranhense Tribo de Jah, Fauzi Beydoun, na música “Quero ver. No show do Maskavo não ficam de fora clássicos da banda como “Folhas secas” , “Quando o sol nascer” , “Asas” , “Ela só ela” , “Velhos sinais” e “Um anjo do céu” .

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Marcelo Mira estréia carreira solo em grande estilo

A evolução tecnológica, que mexe com a vida de todos, trouxe impactos também no cenário musical. Em pouco tempo, a tecnologia derrubou a venda de CDs da forma como conhecíamos, aproximou estilos, dispersou nichos, levou a música para mais gente (e para bem mais longe), e facilitou o aparecimento de novos artistas.

Mas fazer música com qualidade, aproveitando o que a tecnologia trouxe de melhor, é coisa para bem poucos. Afinal, ainda não existem programas que oferecem “talento” em arquivos. Imagine como seria o encontro de um artista talentoso, criado “à moda antiga” com um produtor absolutamente conectado com tudo o que se faz de melhor fora do Brasil.

Marcelo Mira está envolvido com a música desde a adolescência e depois de 10 anos à frente do Alma Djem, acaba de partir para um vôo solo que tem tudo para decolar ainda mais longe.

Ao lado do produtor Deep Lick, que traz no currículo trabalhos com Vanessa da Mata, Seu Jorge, Danni Carlos e Tihuana, além de Jota Quest, Skank, Cidade Negra, Daniela Mercury e outros, Mira produziu “Roda Gigante”, seu primeiro trabalho solo.

O CD é uma porrada. Vibrante, intenso e criativo, o álbum é empolgante e arranca elogios logo de cara. Depois de uma breve introdução, “Passos Pela Rua” já deixa claro que o que vem pela frente é cada vez melhor.

O CD é recheado de músicas candidatas a hits. Sem dúvida um CD de nível há muito não visto. Marcelo Mira acertou em cheio. Deep Lick arrepiou. Mundos musicais distintos que se uniram pra fazer um som único. Com certeza essa “Roda Gigante” vai longe! Podem esperar...

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Resgatando o bom e velho rock nacional

VInDA, esse é o nome do mais novo projeto solo do cantor Vini D´Ávila. Baiano de nascimento iniciou a carreira em Natal e erradicou-se no Rio de Janeiro, terra que acaba de ver surgir seu mais novo trabalho.

Produzido pelo cantor, em conjunto com Anderson Foca, seu disco foi mixado e masterizado pelo gaúcho Luri Freiberger. O som traz aquela velha e boa pegada do pop, sem deixar de lado o rock, além de excelentes grooves. O músico ainda vai beber na fonte do melhor que tem da saudosa MPB.

Mostrando muita personalidade e naturalidades seu som foge do óbvio, resultado do trabalho de quem traz na bagagem muitos quilômetros de estrada percorridos. "Contra o tempo", "CDC" e "Viver", são músicas que têm cara de hit, com tudo para agradar a gregos e troianos.

Destaque na mídia especializada, VinDA é sem dúvida uma grande promessa para esquentar e ressuscitar o nosso verdadeiro rock nacional!

Para conhecer o som vale a pena acessar o http://www.myspace.com/bandavinda.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

7º Festival Coletânea de Bandas terá etapa final no Hard Rock Cafe

O Hard Rock Cafe (RJ) receberá nos dias 26 de outubro (domingo) e 16 de novembro (domingo) de 2008 as bandas vencedoras do “7º Festival Coletânea de Bandas (edição nacional)”.

O Festival reuniu mais de 120 bandas de oito estados brasileiros (RJ, SP, PR, DF, MS, BA, MG e ES) em shows ao vivo. Foram quatro palcos em eliminatórias no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal.

Há sete anos consecutivos aproximadamente 700 bandas já passaram por mais de 15 casas de shows através do festival. O resultado dessa edição será a gravação do 7º CD Coletânea de Bandas, ao vivo, no Hard Rock Cafe (RJ).
Confira a Programação:


26 de outubro

Consciência Tranqüila (RJ)
Sethica (RJ)
Kitéria (SP)
Phorus (SP)
Sigma 6 (MG)
Ordem Psicodélica (RJ)
Macário (BA)

16 de novembro

Rhavana (RJ)
Hellbreath (RJ)
Radical Chick (SP)
Árvores de Carvalho (SP)
A Rede (MG)
A Mákina (DF)
Life Wire (DF)
Site oficial: http://www.coletaneadebandas.com/

Fonte: Bandas de Garagem

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Black Lips agita a cena na região Centro - Oeste

A nova “bola da vez” norte-americana Black Lips, será a atração do projeto Engate a Quinta, no dia 20 de novembro, às 21h, no Espaço Brasil Telecom (Brasília Alvorada Hotel), na capital federal. A abertura será do duo brasiliense Lucy and the Popsonics. No dia seguinte, o quarteto, formado em 2000 na cidade de Atlanta, Georgia, estará na 14ª edição do Goiânia Noise Festival, que reunirá 44 atrações (sendo 10 internacionais) em dois palcos e três dias (21 a 23 de novembro) - confira a programação completa em nossa agenda ou pelo site http://www.goianianoisefestival.com.br/

O Black Lips é composto por Cole Alexander (voz e guitarra), Jared Swilley (voz e baixo), Joe Bradley (bateria) e Ian Saint Pé (guitarra) e se define como “flower punk”. Driblou a perda do guitarrista original, Ben Eberbaugh, morto em acidente de carro em dezembro de 2002, e já lançou quatro discos - Black Lips! (2003), We Did Not Know the Forest Spirit Made the Flowers Grow (2004), Let It Bloom (2005) e Good Bad Not Evil (2007).

O grupo tem a fama de fazer shows viscerais e escatológicos, que incluem nudismo, beijos entre os integrantes, fogos de artifício e até vômito e urina em pleno palco. Sonoramente misturam blues, rock, punk, doo-wop e country. É esperar para conferir o que vem pela frente!



* informações blog Programa Cult22

domingo, 19 de outubro de 2008

Baterista do Sepultura lança EP de projeto paralelo

Experimentalismo talvez seja uma das melhores palavras para se referir ao intenso e não linear som de INDIRETO, projeto criado em 2006 pelo guitarrista Augusto Nogueira (SCARCÉUS) e o baterista Jean Dolabella (SEPULTURA). Embora com percursos diferentes em termos de estilos musicais, os integrantes se conheceram em 1995 estabelecendo a partir daí uma frutífera “troca de figurinhas”, que passou pela participação de Jean na gravação de dois álbuns do Scarcéus, pela realização de workshops e diversos trabalhos juntos, e que agora culmina no curioso projeto INDIRETO que lança seu primeiro EP.

Com o objetivo de fugir do instrumental tradicional, Jean e Augusto pretendem se libertar de regras de estilos musicais e fazem um som que mescla tanto as diversas influências que cada um possui quanto a técnica adquirida em suas ricas trajetórias profissionais.

Embora o EP tenha contado com a participação de dois baixistas convidados (Leonardo Quintão e Renato Tomasso), INDIRETO é formado apenas por Augusto Nogueira e Jean Dolabella. Além de tocarem todos os instrumentos adicionais, é deles também a produção e gravação do EP.

O resultado disso é algo que vale a pena conferir, tanto pela qualidade do som, quanto pela originalidade das composições cheias de improvisações e interessantes misturas.

EP Tracklist:

1. Bob Dominó
2. Samba do Kriolo Doido
3. Iscô
4. Surf

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Black Ice pode ser ouvido na rede

Black Ice, primeiro álbum de inéditas do AC/DC desde 2001, está disponível para audição no site do canal televisivo VH1. Clique aqui para ouvir.


O álbum chega às lojas dos Estados Unidos no dia 20 de outubro, e não terá lançamento digital. Recentemente, o guitarrista Angus Young afirmou que o AC/DC não se sente confortável com a venda de faixas "avulsas" na rede, e que o iTunes "ainda vai acabar com a música, se não tomarmos cuidado".

De acordo com o site britânico NME, Black Ice vazou na internet em 7 de outubro, e até o dia 13 deste mês, já haviam sido contabilizados mais de 400 mil downloads.

Fonte: Revista RollingStone

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

P.O.D. anuncia quatro show no Brasil em novembro

A banda norte-americana P.O.D. confirmou em seu site oficial quatro apresentações no Brasil, já no mês de novembro.

A banda que traz no seu som influências que vão do hardcore ao nu metal, passando pelo hard rock, hip-hop e reggae , foi formada em 1992, na Califórnia e recentemente lançou seu sétimo álbum, “When Angels & Serpents Dance”, que é divulgado na turnê que vem ao Brasil.

Segundo a agenda oficial do grupo, eles se apresentarão no dia 22 de novembro no Kazebre Rock Bar, em São Paulo; dia 23 no Circo Voador, no Rio de janeiro; dia 26 no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte; e dia 28 no Master Hall, em Curitiba.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Nightwish desmente boato sobre vocalista

Depois de especulações sobre o cancelamento de quatro shows na turnê americana, e das apresentações em Moscou, o Nightwish falou sobre o estado de saúde de Anette Olzon, vocalista do grupo.

“Agradecemos aos fãs pela cordialidade, boas energias e apoio. Anette está 100% recuperada”. O grupo também desmentiu os boatos de que o cancelamento dos shows seria uma desculpa para que a cantora pudesse repousar mais. “O cancelamento em Moscou não teve nada a ver com ela. Não podemos ir até a Rússia simplesmente porque não temos a certeza de que seremos pagos. Vinte e três pessoas, um caminhão de equipamentos e pirotecnia, você pode adivinhar quanto dinheiro perderíamos”, asseguraram os integrantes.

O Nightwish vem à América do Sul para fechar sua turnê deste ano. O tour inclui 10 apresentações no Brasil. Logo depois o grupo sai de férias, e volta só em março de 2009, para uma série de shows na Europa.

Fonte: Cidade Webrock

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Pianista Vitor Araujo mostra sua mistura de popular com música erudita no Mistura Fina

Revelação da cena instrumental brasileira, o jovem pianista Vitor Araújo chama a atenção pelo estilo livre de interpretar clássicos do jazz, MPB e música erudita.

Com apenas 19 anos, Vitor Araújo chama atenção pela postura independente e interpretações originais. O repertório de seus shows é eclético e passeia por releituras do erudito - “Dança do Índio Branco” de Heitor Villa-Lobos; “Paulistana no 1”, de Cláudio Santoro; e “Sonatina para Piano”, do maestro Edino Krieger - e do moderno - “Comptine d’un Autre Été”, de Yan Tiersen, que faz parte da trilha sonora do premiado filme francês “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”; “Samba e Amor”, de Chico Buarque; e “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga.

Depois de vencer o Prêmio Nick 2008 - promovido pelo canal por assinatura Nickelodeon - na categoria Revelação do Ano, o pianista pernambucano Vitor Araújo apresenta o show do DualDisc “TOC – Ao Vivo no Teatro de Santa Isabel”, no Mistura Fina, dia 15 de outubro, quarta.
O prêmio teve mais de 8 milhões de votos no total e o inusitado é que um pianista erudito, que milita na música instrumental, tenha superado artistas televisivos com votos do público infanto-juvenil.

Em setembro de 2007, Vitor Araújo se apresentou na Mostra Internacional de Música de Olinda – MIMO, ao lado de ícones como Antonio Menezes, Naná Vasconcelos, Egberto Gismonti, Yamandú Costa, Hamilton Holanda, Isaac Karabtchevsky, etc.

Serviço:
Vitor Araújo no Mistura Fina
Endereço: av. Rainha Elizabeth, 769, Ipanema, POSTO 8,CEP: 22081-031
Telefone: 2523-1703
Classificação etária: 18 anos
Venda de Ingressos também em http://www.ingressos.com/

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Divulgada a programação completa do Goiânia Noise Festival

Foi divulgada a programação completa do Goiânia Noise Festival, que acontece de 21 a 23 de novembro na capital de Goiás. O evento vai reunir atrações internacionais como Helmet, Vaselines e Black Mountain.

A veterana banda Circle Jerks, que seria um dos destaques do festival, não vai mais vir. O motivo foi uma internação do vocalista Keith Morris, que teve uma parada cardíaca provoca por uma hiperglicemia.

No total, serão mais de 40 atrações, a maioria delas da própria Goiânia. Mas haverá também 10 nomes internacionais e também destaques da cena alternativa brasileira, incluindo o ex-Los Hermanos Marcelo Camelo.

O preço e o início da data de venda dos ingressos ainda não foi definido. Veja abaixo a programação do Goiânia Noise Festival:

Sexta-feira (21/11)
Palco Monstro
19:00 Diego de Moraes e o Sindicato (GO)

20:00 Mickey Junkies (SP)

21:00 Calumet-Hecla (EUA)

22:00 Canastra (RJ)

23:00 Frank Jorge (RS)

00:00 Vaselines (Escócia)

01:20 Marcelo Camelo + Hurtmold (RJ)

Palco Trama Virtual

18:10 Gloom (GO)

18:40 Demosonic (GO)

19:30 Holger (SP)

20:30 The Backbiters (GO)

21:30 Continental Combo (SP)

22:30 Motherfish (GO)

23:30 Lucy And The Popsonics (DF)

00:40 Black Lips (EUA)

Sábado (22/11)
Palco Monstro

19:00 Mugo (GO)

20:00 Guizado (SP)

21:00 Os Ambervisions (SC)

22:00 The Dead Rocks (SP)

23:00 Cabruêra (PB)

00:00 Black Mountain (Canadá)

01:20 Instituto (SP)


Palco Trama Virtual

18:10 Cicuta (GO)

18:40 Mersault e Máquina de Escrever (GO)

19:30 Amp (PE)

20:30 Black Drawing Chalks (GO)

21:30 Gangrena Gasosa (RJ)

22:30 MQN (GO)

23:30 Black Melkon (Inglaterra)

00:40 The Flaming Sideburns (Finlândia)


Domingo (23/11)
Palco Monstro

18:00 Heaven's Guardian (GO)

19:00 Motek (Bélgica)

20:00 The Ganjas (Chile)

21:00 Loop B (SP)

22:00 Claustrofobia (SP)

23:20 Inocentes (SP)

00:20 Helmet (EUA)

Palco Trama Virtual

17:10 Fígado Killer (GO)

17:40 Goldfish Memories (GO)

18:30 Hillbilly Rawhide (PR)

19:30 Bang Bang Babies (GO)

20:30 Mechanics (GO)

21:30 The Tormentos (Argentina)

22:40 Periferia SA (SP)

sábado, 11 de outubro de 2008

Monobloco faz primeiro show só para crianças

Acostumados a fazer shows para o público adulto, arrastando milhares de pessoas para a orla de Copacabana no carnaval, os integrantes do Monobloco vão enfrentar, pela primeira vez, um novo público. É que no dia 12 de outubro, domingo, o Monobloco fará uma matinê só para crianças, no Circo Voador.
O evento começa cedo, às 16h, com oficinas de percussão, culinária, capoeira e circo. Em seguida, às 18h, o grupo idealizado, em 2000, pelos integrantes da banda Pedro Luís e A Parede – Pedro Luís (voz, violão e guitarra), Mário Moura (baixo), C.A. Ferrari, Sidon Silva, Celso Alvim (bateria e percussão) - sobe ao palco do Circo Voador para fazer a criançada pular e dançar ao som de sambas e marchinhas. Doe um brinquedo e ganhe R$10 de desconto* no seu ingresso inteiro.

Na abertura do show, o Minibloco – grupo formado por quinze crianças, entre 8 e 12 anos, alunos de percussão do maestro Celso Alvim na Escola Parque – vai apresentar quatro músicas: “A vida me fez assim” (Teresa Cristina), "Maracangália" (Dorival Caymmi), “Todo menino é rei” (Roberto Ribeiro) e “A mosca na sopa” (Raul Seixas).
No repertório do Monobloco, músicas e marchinhas que já são conhecidas pelos adultos e crianças também: “Coisinha do pai”, “Os orixás”, “Cabeleira do Zezé”, “Alalaô”, “Mulata bossa nova” e “Mamãe eu quero”. Além dos integrantes da banda Pedro Luís e A Parede, o show no Circo terá a participação do músico convidado Léo Saad (guitarra) e de integrantes do Monobloco: Fábio Allman (voz), Renato Biguli (voz), Igor Araújo (baixo e chocalho), Mestre Maurão (surdo), Fred Castilho (caixa) e Júnior Teixeira.

A criação das oficinas ficou a cargo do Ateliê das Idéias, coordenado por Gabriela Kapim e Fabiana Figueira. Entre 16h e 18h, haverá aulas de culinária (Roberta Furtado), capoeira (Brincadeira de Capoeira) e brinquedos e fantoches feitos com sucata (Panos pra manga). Para as crianças interessadas em aprender um pouco de música, o maestro Celso Alvim fará uma oficina de percussão. O site do Monobloco é: http://www.monobloco.com.br/

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Show do Nightwish em Porto Alegre é cancelado

A apresentação de Porto Alegre, marcada para o dia 04 de novembro, foi cancelada. O show não acontecerá em virtude de problemas referentes à alocação do show. A produtora responsável, Dynamo, publicou um post detalhado para esclarecer o ocorrido no orkut.

Com a mudança, cai para 10 o número de shows da banda no país. Estão confirmados os shows de Curitiba (05/11), São Paulo (07 e 08/11), Belo Horizonte (10/11), Brasília (11/11), Manaus (13/11), Fortaleza (15/11), Recife (16/11), Vila Velha (18/11) e Rio de Janeiro (19/11).

*informações Cidadewebrock

Green Day convoca o mesmo produtor de "Nevermind" para o novo disco


O novo disco do Green Day vai contar com a produção de ninguém mais, ninguém menos que Butch Vig. Nome conhecido do meio musical mundial, o produtor já trabalhou com o Garbage, e é responsável pelos discos Nevermind, do Nirvana, e Siamese Dream, do Smashing Pumpkins.

O trabalho será o sucessor de American Idiot, álbum que marcou a segunda ascensão da banda, em 2004. Além de alcançar o topo das paradas inglesa e norte-americana, o álbum rendeu à banda o Grammy de Melhor Álbum de Rock, entre outros prêmios.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

VitrolaNews no orkut


Acessem também e façam parte da comunidade do VitrolaNews no orkut. Aguardem em breve o lançamento da página oficial http://www.vitrolanews.com/ .

Inocentes prepara novo disco

Os Inocentes devem começar em breve a preparar as canções para o próximo disco de estúdio. Apesar de ter lançado seu primeiro DVD há pouco tempo, a banda punk paulistana dará início aos trabalhos para o sucessor de ‘Labirinto’, de 2004.

Clemente Nascimento declarou na página do Inocentes no MySpace que o quarteto está pronto. “Estou com as bases do Ronaldo [dos Passos, guitarrista] prontas. Estão apenas esperando as letras”, revelou o vocalista e guitarrista. “Não vejo a hora de começar. As músicas são muito boas, o Ronaldo realmente acertou”.

Fonte: Guitar Player